25 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

Somos, realmente, abençoados.  Neste dia de Natal, no qual tradicionalmente celebramos o nascimento do Senhor, devemos tirar um tempo para lembrar todas as nossas bênçãos.

Primeiramente, podemos agradecer a Deus por Suas bênçãos sobre os nossos filhos: “Então, na juventude, os nossos filhos serão como plantas viçosas; as nossas filhas, como colunas esculpidas para ornar um palácio” (Salmos 144:12).  Ter filhos bem-comportados e tementes à Deus é uma grande benção.

“Os nossos celeiros estarão cheios das mais variadas provisões” (Salmos 144:13), e podemos dizer que, verdadeiramente, Deus tem suprido todas as nossas necessidades “de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus” (Filipenses 4:19).

“Não haja nem assaltos, nem saídas, nem clamores em nossas ruas” (Salmos 144:14 [ARC]).  Também podemos agradecer a Deus pela paz em nossas famílias, nossas ruas, nossas igrejas, e em nosso governo.  Apesar de todos os nossos problemas, ainda temos o privilégio de ter “uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade” (1 Timóteo 2:2).

“Como é feliz o povo assim abençoado!” (Salmos 144:15), e acredito que podemos afirmar isto para você e para mim!

 

Leitura Diária

(Zacarias 8:1-23 | Salmos 144:1-15 | Provérbios 30:29-31 | Apocalipse 16:1-21)

Mais uma vez veio a mim a palavra do Senhor dos Exércitos:
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Tenho muito ciúme de Sião; estou me consumindo de ciúmes por ela”.
Assim diz o Senhor: “Estou voltando para Sião e habitarei em Jerusalém. Então Jerusalém será chamada Cidade da Verdade, e o monte do Senhor dos Exércitos será chamado Monte Sagrado”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Homens e mulheres de idade avançada voltarão a sentar-se nas praças de Jerusalém, cada um com sua bengala, por causa da idade.
As ruas da cidade ficarão cheias de meninos e meninas brincando”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Mesmo que isso pareça impossível para o remanescente deste povo naquela época, será impossível para mim? “, declara o Senhor dos Exércitos.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Salvarei meu povo dos países do leste e do oeste.
Eu os trarei de volta para que habitem em Jerusalém; serão meu povo e eu serei o Deus deles, com fidelidade e justiça”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Vocês que estão ouvindo hoje estas palavras já proferidas pelos profetas quando foram lançados os alicerces do templo do Senhor dos Exércitos, fortaleçam as mãos para que o templo seja construído.
Pois antes daquele tempo não havia salários para os homens nem para os animais. Ninguém podia tratar os seus negócios com segurança por causa de seus adversários, porque eu tinha posto cada um contra o seu próximo.
Mas agora não vou mais tratar com o remanescente deste povo como fiz no passado”, declara o Senhor dos Exércitos.
“Haverá uma rica semeadura, a videira dará o seu fruto, a terra produzirá suas colheitas e o céu derramará o orvalho. E darei todas essas coisas como uma herança ao remanescente deste povo.
Assim como vocês foram uma maldição para as nações, ó Judá e Israel, também os salvarei e vocês serão uma bênção. Não tenham medo, antes sejam fortes. ”
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Assim como eu havia decidido castigar vocês sem compaixão quando os seus antepassados me enfureceram”, diz o Senhor dos Exércitos,
“também agora decidi fazer de novo o bem a Jerusalém e a Judá. Não tenham medo!
Eis o que devem fazer: Falem somente a verdade uns com os outros, e julguem retamente em seus tribunais;
não planejem no íntimo o mal contra o seu próximo, e não queiram jurar com falsidade. Porque eu odeio todas essas coisas”, declara o Senhor.
Mais uma vez veio a mim a palavra do Senhor dos Exércitos.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Os jejuns do quarto, do quinto, do sétimo e do décimo meses serão ocasiões alegres e cheias de júbilo, festas felizes para o povo de Judá. Por isso amem a verdade e a paz”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Povos e habitantes de muitas cidades ainda virão,
e os habitantes de uma cidade irão a outra e dirão: ‘Vamos logo suplicar o favor do Senhor e buscar o Senhor dos Exércitos. Eu mesmo já estou indo’.
E muitos povos e nações poderosas virão buscar o Senhor dos Exércitos em Jerusalém e suplicar o seu favor”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Naqueles dias, dez homens de todas as línguas e nações agarrarão firmemente a barra das vestes de um judeu e dirão: ‘Nós vamos com você porque ouvimos dizer que Deus está com vocês’ “.
Zacarias 8:1-23

Bendito seja o Senhor, a minha Rocha, que treina as minhas mãos para a guerra e os meus dedos para a batalha.
Ele é o meu aliado fiel, a minha fortaleza, a minha torre de proteção e o meu libertador, é o meu escudo, aquele em quem me refugio. Ele subjuga a mim os povos.
Senhor, que é o homem para que te importes com ele, ou o filho do homem para que por ele te interesses?
O homem é como um sopro; seus dias são como uma sombra passageira.
Estende, Senhor, os teus céus e desce; toca os montes para que fumeguem.
Envia relâmpagos e dispersa os inimigos; atira as tuas flechas e faze-os debandar.
Das alturas, estende a tua mão e liberta-me; salva-me da imensidão das águas, das mãos desses estrangeiros,
que têm lábios mentirosos e com a mão direita erguida juram falsamente.
Cantarei uma nova canção a ti, ó Deus; tocarei para ti a lira de dez cordas,
para aquele que dá vitória aos reis, que livra o seu servo Davi da espada mortal.
Dá-me libertação; salva-me das mãos dos estrangeiros, que têm lábios mentirosos e que, com a mão direita erguida, juram falsamente.
Então, na juventude, os nossos filhos serão como plantas viçosas, e as nossas filhas, como colunas esculpidas para ornar um palácio.
Os nossos celeiros estarão cheios das mais variadas provisões. Os nossos rebanhos se multiplicarão aos milhares, às dezenas de milhares em nossos campos;
o nosso gado dará suas crias; não haverá praga alguma nem aborto. Não haverá gritos de aflição em nossas ruas.
Como é feliz o povo assim abençoado! Como é feliz o povo cujo Deus é o Senhor!
Salmos 144:1-15

“Há três seres de andar elegante, quatro que se movem com passo garboso:
O leão, que é poderoso entre os animais e não foge de ninguém;
o galo de andar altivo; o bode; e o rei à frente do seu exército.
Provérbios 30:29-31

Então ouvi uma forte voz que vinha do santuário dizendo aos sete anjos: “Vão derramar sobre a terra as sete taças da ira de Deus”.
O primeiro anjo foi e derramou a sua taça pela terra, e abriram-se feridas malignas e dolorosas naqueles que tinham a marca da besta e adoravam a sua imagem.
O segundo anjo derramou a sua taça no mar, e este se transformou em sangue como de um morto, e morreu toda criatura que vivia no mar.
O terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes de águas, e eles se transformaram em sangue.
Então ouvi o anjo que tem autoridade sobre as águas dizer: “Tu és justo, tu, o Santo, que és e que eras, porque julgaste estas coisas;
pois eles derramaram o sangue dos teus santos e dos teus profetas, e tu lhes deste sangue para beber, como eles merecem”.
E ouvi o altar responder: “Sim, Senhor Deus todo-poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos”.
O quarto anjo derramou a sua taça no sol, e foi dado poder ao sol para queimar os homens com fogo.
Estes foram queimados pelo forte calor e amaldiçoaram o nome de Deus, que tem domínio sobre estas pragas; contudo se recusaram a se arrepender e a glorificá-lo.
O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, cujo reino ficou em trevas. De tanta agonia, os homens mordiam a própria língua,
e blasfemavam contra o Deus do céu, por causa das suas dores e das suas feridas; contudo, recusaram-se a arrepender-se das obras que haviam praticado.
O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates, e secaram-se as suas águas para que fosse preparado o caminho para os reis que vêm do Oriente.
Então vi saírem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs.
São espíritos de demônios que realizam sinais miraculosos; eles vão aos reis de todo o mundo, a fim de reuni-los para a batalha do grande dia do Deus todo-poderoso.
“Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha”.
Então os três espíritos os reuniram no lugar que, em hebraico, é chamado Armagedom.
O sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e do santuário saiu uma forte voz que vinha do trono, dizendo: “Está feito! ”
Houve, então, relâmpagos, vozes, trovões e um forte terremoto. Nunca havia ocorrido um terremoto tão forte como esse desde que o homem existe sobre a terra.
A grande cidade foi fracionada em três partes, e as cidades das nações se desmoronaram. Deus lembrou-se da grande Babilônia e lhe deu o cálice do vinho do furor da sua ira.
Todas as ilhas fugiram, e as montanhas desapareceram.
Caíram sobre os homens, vindas do céu, enormes pedras de granizo, de cerca de trinta e cinco quilos cada; eles blasfemaram contra Deus por causa do granizo, pois a praga fora terrível.
Apocalipse 16:1-21

 

24 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

Em Provérbios 30:24-28 o autor descreve quatro seres da Terra que “são pequenos, e, no entanto, muito sábios” (v 24).  Estes seres representam os quatro aspectos do evangelismo, pois “aquele que conquista almas é sábio” (11:30).

A “formiga” (Provérbios 30:25) é fortemente impulsionada a armazenar comida durante a colheita.  Da mesma forma nós precisamos ser impulsionados a colher almas da humanidade ao percebermos que o tempo está se esgotando.  O “coelho” (v 26) encontra sua força nas rochas (penhascos) na qual vive.  Nós também encontraremos maior produtividade evangelística quando andamos em parceria com outros crentes mais fortes.  Pescar em rede com outras pessoas é melhor do que pescar com anzol sozinho!  O “gafanhoto” (v 27) voa junto com outros gafanhotos, reinando sobre o ar e até mesmo escurecendo o sol.  Nenhum evangelismo seria produtivo sem a oração que toma controle do reino celestial.   Finalmente, a “lagartixa” (v 28) tem a habilidade de penetrar até mesmo no palácio do rei.  Precisamos ser destemidos e ousados, entrando por qualquer porta aberta que o Senhor nos abre através da oração.

Resgatar almas eternas exige grande sabedoria, e essa sabedoria é composta de propósito, parceria, oração e penetração.  Peça ao Senhor hoje por essa sabedoria e comece a realizar seu destino eterno!

 

Leitura Diária

(Zacarias 6:1 – 7:14 | Salmos 143:1-12 | Provérbios 30:24-28 | Apocalipse 15:1-8)

Olhei novamente, e vi diante de mim quatro carruagens que vinham saindo do meio de duas montanhas de bronze.
À primeira estavam atrelados cavalos vermelhos, à segunda, cavalos pretos,
à terceira, cavalos brancos, e à quarta, cavalos malhados. Todos eram vigorosos.
Perguntei ao anjo que falava comigo: “Que representam estes cavalos atrelados, meu senhor? ”
O anjo me respondeu: “Estes são os quatro espíritos do céu, que acabam de sair da presença do Soberano de toda a terra.
A carruagem puxada pelos cavalos pretos vai em direção à terra do norte, a que tem cavalos brancos vai em direção ao oriente, e a que tem cavalos malhados vai para a terra do sul”.
Os vigorosos cavalos avançavam, impacientes por percorrer a terra. E o anjo lhes disse: “Percorram toda a terra! ” E eles foram.
Então ele me chamou e disse: “Veja, os que foram para a terra do norte deram repouso ao meu Espírito naquela terra”.
E o Senhor me ordenou:
“Tome prata e ouro dos exilados Heldai, Tobias e Jedaías, que chegaram da Babilônia. No mesmo dia vá à casa de Josias, filho de Sofonias.
Pegue a prata e o ouro, faça uma coroa, e coloque-a na cabeça do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque.
Diga-lhe que assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Aqui está o homem cujo nome é Renovo, e ele sairá do seu lugar e construirá o templo do Senhor.
Ele construirá o templo do Senhor, será revestido de majestade e se assentará em seu trono para governar. E ele será sacerdote no trono. E haverá harmonia entre os dois’.
A coroa será para Heldai, Tobias, Jedaías e Hem, filho de Sofonias como um memorial no templo do Senhor.
Gente de longe virá ajudar a construir o templo do Senhor. Então vocês saberão que o Senhor dos Exércitos me enviou a vocês. Isto só acontecerá se obedecerem fielmente à voz do Senhor, o seu Deus”.
Zacarias 6:1-15

No quarto ano do reinado do rei Dario, a palavra do Senhor veio a Zacarias, no quarto dia do nono mês, o mês de quisleu.
Foi quando o povo de Betel enviou Sarezer e Régen-Meleque com seus homens, para suplicarem ao Senhor
perguntando aos sacerdotes do templo do Senhor dos Exércitos e aos profetas: “Devemos lamentar e jejuar no quinto mês, como já faz tantos anos que estamos fazendo? ”
Então o Senhor dos Exércitos me falou:
“Pergunte a todo o povo e aos sacerdotes: Quando vocês jejuaram no quinto e no sétimo meses durante os últimos setenta anos, foi de fato para mim que jejuaram?
E quando comiam e bebiam, não era para vocês mesmos que o faziam?
Não são essas as palavras do Senhor proclamadas pelos antigos profetas quando Jerusalém e as cidades ao seu redor estavam em paz e prosperavam, e o Neguebe e a Sefelá eram habitados? ”
E a palavra do Senhor veio novamente a Zacarias:
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Administrem a verdadeira justiça, mostrem misericórdia e compaixão uns para com os outros.
Não oprimam a viúva e o órfão, nem o estrangeiro e o necessitado. Nem tramem maldades uns contra os outros’.
“Mas eles se recusaram a dar atenção; teimosamente viraram as costas e taparam os ouvidos.
Endureceram o coração para não ouvirem a Lei e as palavras que o Senhor dos Exércitos tinha falado pelo seu Espírito por meio dos antigos profetas. Por isso o Senhor dos Exércitos irou-se muito”.
” ‘Quando eu os chamei, não deram ouvidos; por isso, quando eles me chamarem, também não ouvirei’, diz o Senhor dos Exércitos.
‘Eu os espalhei com um vendaval entre nações que eles nem conhecem. A terra que deixaram para trás ficou tão destruída que ninguém podia atravessá-la. Foi assim que transformaram a terra aprazível em ruínas’ “.
Zacarias 7:1-14

Ouve, Senhor, a minha oração, dá ouvidos à minha súplica; responde-me por tua fidelidade e por tua justiça.
Mas não leves o teu servo a julgamento, pois ninguém é justo diante de ti.
O inimigo persegue-me e esmaga-me ao chão; ele me faz morar nas trevas, como os que há muito morreram.
O meu espírito se desanima; o meu coração está em pânico.
Eu me recordo dos tempos antigos; medito em todas as tuas obras e considero o que as tuas mãos têm feito.
Estendo as minhas mãos para ti; como a terra árida, tenho sede de ti. Pausa
Apressa-te em responder-me, Senhor! O meu espírito se abate. Não escondas de mim o teu rosto, ou serei como os que descem à cova.
Faze-me ouvir do teu amor leal pela manhã, pois em ti confio. Mostra-me o caminho que devo seguir, pois a ti elevo a minha alma.
Livra-me dos meus inimigos, Senhor, pois em ti eu me abrigo.
Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus; que o teu bondoso Espírito me conduza por terreno plano.
Preserva-me a vida, Senhor, por causa do teu nome, por tua justiça, tira-me desta angústia.
E no teu amor leal, aniquila os meus inimigos; destrói todos os meus adversários, pois sou teu servo.
Salmos 143:1-12

“Quatro seres da terra são pequenos, e, no entanto, muito sábios:
As formigas, criaturas de pouca força, contudo, armazenam sua comida no verão;
os coelhos, criaturas sem nenhum poder, contudo, habitam nos penhascos;
os gafanhotos, que não têm rei, contudo, avançam juntos em fileiras;
a lagartixa, que se pode apanhar com as mãos, contudo, encontra-se nos palácios dos reis.
Provérbios 30:24-28

Vi no céu outro sinal, grande e maravilhoso: sete anjos com as sete últimas pragas, pois com elas se completa a ira de Deus.
Vi algo semelhante a um mar de vidro misturado com fogo, e, de pé, junto ao mar, os que tinham vencido a besta, a sua imagem e o número do seu nome. Eles seguravam harpas que lhes haviam sido dadas por Deus,
e cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro: “Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações.
Quem não te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o teu nome? Pois tu somente és santo. Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiça se tornaram manifestos”.
Depois disso olhei, e vi que se abriu no céu o santuário, o tabernáculo da aliança.
Saíram do santuário os sete anjos com as sete pragas. Eles estavam vestidos de linho puro e resplandecente, e tinham cinturões de ouro ao redor do peito.
E um dos quatro seres viventes deu aos sete anjos sete taças de ouro cheias da ira de Deus, que vive para todo o sempre.
O santuário ficou cheio da fumaça da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia entrar no santuário enquanto não se completassem as sete pragas dos sete anjos.
Apocalipse 15:1-8

 

23 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

Como é fácil desprezar os nossos próprios esforços no Senhor.  É claro que Satanás está sempre perto para dizer que o que estamos fazendo é “insignificante”.  A nossa reação é de nos esforçarmos mais arduamente para alcançar a perfeição.  No final da história, esgotaremos toda a nossa energia e teremos que admitir: “´Não por força nem por violência, mas pelo Meu Espírito´ diz o Senhor dos Exércitos” (Zacarias 4:6).

Faz sentido trabalharmos sozinhos em nosso próprio esforço quando o Espírito de Deus trabalhará junto conosco?  Precisamos aprender a depender no sobrenatural: “Quem você pensa que é, ó montanha majestosa?  Diante de Zorobabel você se tornará uma planície … aos gritos de ´Deus abençoe! Deus abençoe!” (Zacarias 4:7).  Quem poderia acreditar que uma montanha cairia ao gritar a graça de Deus sobre ela?  Os muros de Jericó não caíram pelo raciocínio do homem, mas pelo poder de Deus.  Sem dúvida parecia ridículo ao exército de Josué gritar a algo assim tão potente.

Satanás pode ridicularizar os nossos louvores, mas ele sabe que o louvor é a nossa arma mais poderosa no arsenal da fé.   Continue gritando à sua montanha … o Espírito Santo a fará cair!

 

Leitura Diária

(Zacarias 4:1 – 5:11 | Salmos 142:1-7 | Provérbios 30:21-23 | Apocalipse 14:1-20)

Depois o anjo que falava comigo tornou a despertar-me, como se desperta alguém do sono,
e me perguntou: “O que você está vendo? ” Respondi: “Vejo um candelabro de ouro maciço com um recipiente para azeite na parte superior e sete lâmpadas e sete canos para as lâmpadas.
Há também duas oliveiras junto ao recipiente, uma à direita e outra à esquerda”.
Perguntei ao anjo que falava comigo: “O que significa isto, meu senhor? ”
Ele disse: “Você não sabe? ” “Não, meu senhor”, respondi.
“Esta é a palavra do Senhor para Zorobabel: ‘Não por força nem por violência, mas pelo meu Espírito’, diz o Senhor dos Exércitos.
“Quem você pensa que é, ó montanha majestosa? Diante de Zorobabel você se tornará uma planície. Ele colocará a pedra principal aos gritos de ‘Deus abençoe! Deus abençoe! ’ ”
Então o Senhor me falou:
“As mãos de Zorobabel colocacaram os fundamentos deste templo; suas mãos também o terminarão. Assim saberão que o Senhor dos Exércitos me enviou a vocês.
“Pois aqueles que desprezaram o dia das pequenas coisas terão grande alegria ao verem a pedra principal nas mãos de Zorobabel”. Então ele me disse: “Estas sete lâmpadas são os olhos do Senhor, que sondam toda a terra”.
A seguir perguntei ao anjo: “O que significam estas duas oliveiras à direita e à esquerda do candelabro? ”
E perguntei também: “O que significam estes dois ramos de oliveira ao lado dos dois tubos de ouro que derramam azeite dourado? ”
Ele disse: “Você não sabe? ” “Não, meu senhor”, respondi.
Então ele me disse: “São os dois homens que foram ungidos para servir ao Soberano de toda a terra! ”
Zacarias 4:1-14

Levantei novamente os olhos, e vi diante de mim um pergaminho que voava.
O anjo me perguntou: “O que você está vendo? ” Respondi: “Vejo um pergaminho voando, com nove metros de comprimento por quatro e meio de largura”.
Então ele me disse: “Nele está escrita a maldição que está sendo derramada sobre toda a terra: porque tanto o ladrão como o que jura falsamente serão expulsos, conforme essa maldição.
Assim declara o Senhor dos Exércitos: ‘Eu lancei essa maldição para que ela entre na casa do ladrão e na casa do que jura falsamente pelo meu nome. Ela ficará em sua casa e destruirá tanto as vigas como os tijolos! ’ ”
Em seguida o anjo que falava comigo se adiantou e me disse: “Olhe e veja o que vem surgindo”.
Perguntei o que era aquilo, e ele me respondeu: “É um cesto”. E disse mais: “Aí está o pecado de todo o povo desta terra”.
Então a tampa de chumbo foi retirada, e ali dentro do cesto estava uma mulher sentada!
Ele disse: “Esta é a Perversidade”, e a empurrou para dentro do cesto e o tapou de novo com a tampa de chumbo.
De novo ergui os olhos e vi chegarem à minha frente duas mulheres com asas como de cegonha; o vento impeliu suas asas, e elas ergueram o cesto entre o céu e a terra.
Perguntei ao anjo: “Para onde estão levando o cesto? ”
Ele respondeu: “Para a Babilônia, onde vão construir um santuário para ele. Quando ficar pronto, o cesto será colocado lá, em seu pedestal”.
Zacarias 5:1-11

Em alta voz clamo ao Senhor; elevo a minha voz ao Senhor, suplicando misericórdia.
Derramo diante dele o meu lamento; a ele apresento a minha angústia.
Quando o meu espírito se desanima, és tu quem conhece o caminho que devo seguir. Na vereda por onde ando esconderam uma armadilha contra mim.
Olha para a minha direita e vê; ninguém se preocupa comigo. Não tenho abrigo seguro; ninguém se importa com a minha vida.
Clamo a ti, Senhor, e digo: “Tu és o meu refúgio; és tudo o que tenho que na terra dos viventes.
Dá atenção ao meu clamor, pois estou muito abatido; livra-me dos que me perseguem, pois são mais fortes do que eu.
Liberta-me da prisão, e renderei graças ao teu nome. Então os justos se reunirão à minha volta por causa da tua bondade para comigo”.
Salmos 142:1-7

“Três coisas fazem tremer a terra, e quatro ela não pode suportar:
O escravo que se torna rei, o insensato farto de comida,
a mulher desprezada que por fim se casa, e a escrava que toma o lugar de sua senhora.
Provérbios 30:21-23

Então olhei, e diante de mim estava o Cordeiro, de pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil que traziam escritos na testa o nome dele e o nome de seu Pai.
Ouvi um som do céu como o de muitas águas e de um forte trovão. Era como o de harpistas tocando suas harpas.
Eles cantavam um cântico novo diante do trono, dos quatro seres viventes e dos anciãos. Ninguém podia aprender o cântico, a não ser os cento e quarenta e quatro mil que haviam sido comprados da terra.
Estes são os que não se contaminaram com mulheres, pois se conservaram castos e seguem o Cordeiro por onde quer que ele vá. Foram comprados dentre os homens e ofertados como primícias a Deus e ao Cordeiro.
Mentira nenhuma foi encontrada em suas bocas; são imaculados.
Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo.
Ele disse em alta voz: “Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas”.
Um segundo anjo o seguiu, dizendo: “Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição! ”
Um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: “Se alguém adorar a besta e a sua imagem e receber a sua marca na testa ou na mão,
também beberá do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira. Será ainda atormentado com enxofre ardente na presença dos santos anjos e do Cordeiro,
e a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre. Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite”.
Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus.
Então ouvi uma voz do céu dizendo: “Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante”. Diz o Espírito: “Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão”.
Olhei, e diante de mim estava uma nuvem branca e, assentado sobre a nuvem, alguém “semelhante a um filho de homem”. Ele estava com uma coroa de ouro na cabeça e uma foice afiada na mão.
Então saiu do santuário um outro anjo, que bradou em alta voz àquele que estava assentado sobre a nuvem: “Tome a sua foice e faça a colheita, pois a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la”.
Assim, aquele que estava assentado sobre a nuvem passou sua foice pela terra, e a terra foi ceifada.
Outro anjo saiu do santuário do céu, trazendo também uma foice afiada.
E ainda outro anjo, que tem autoridade sobre o fogo, saiu do altar e bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: “Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras! ”
O anjo passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus.
Elas foram pisadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar, chegando ao nível dos freios dos cavalos, numa distância de cerca de trezentos quilômetros.
Apocalipse 14:1-20

 

22 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

Muitas das orações de Davi se resumiam em duas palavras: “Guarda-me” (Salmos 141:9).  Um dos mais gloriosos atributos de Deus é a função de Protetor.  Ele prometeu duas formas de proteção a Zacarias.  Primeiro, Ele prometeu que seria “um muro de fogo ao seu [Jerusalém] redor” (Zacarias 2:5).  Até mesmo os animais selvagens têm medo de fogo, e Deus disse que ergueria ao nosso redor um muro de fogo ardente que nenhum inimigo poderia penetrar.  Ele também prometeu que “todo o que tocar em vocês, toca na menina dos olhos Dele” (v 8).  “Olho” pode ser interpretado como sendo a pupila do olho.  É a entrada, o próprio centro do globo ocular através do qual toda luz precisa passar.  O globo ocular é ferozmente protegido pela pálpebra que instintivamente fecha no mesmo momento que algo ameaçador se aproxima.  O Senhor está dizendo: “Eu não estou somente vigiando você, você está dentro do meu olho!”

Se você caminhar bem perto do Senhor, você nunca se desviará fora do “muro de fogo” e “a pupila dos olhos” Dele.  Não se amedronte, cidadão de Sião.  O seu Deus tem poder impressionante para lhe guardar!

 

Leitura Diária

(Zacarias 2:1 – 3:10 | Salmos 141:1-10 | Provérbios 30:18-20 | Apocalipse 13:1b-18)

Olhei em seguida, e vi um homem segurando uma corda de medir.
Eu lhe perguntei: “Aonde você vai? ” Ele me respondeu: “Vou medir Jerusalém para saber o seu comprimento e a sua largura”.
Então o anjo que falava comigo retirou-se, e outro anjo foi ao seu encontro
e lhe disse: “Corra e diga àquele jovem: ‘Jerusalém será habitada como uma cidade sem muros por causa dos seus muitos habitantes e rebanhos.
E eu mesmo serei para ela um muro de fogo ao seu redor’, declara o Senhor, ‘e dentro dela serei a sua glória’.
“Atenção! Atenção! Fujam da terra do norte”, declara o Senhor, “porque eu os espalhei aos quatro ventos da terra”, diz o Senhor.
“Atenção, ó Sião! Escapem, vocês que vivem na cidade da Babilônia!
Porque assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Ele me enviou para buscar a sua glória entre as nações que saquearam vocês, porque todo o que neles tocar, toca na pupila dos olhos dele’.
Certamente levantarei a minha mão contra elas de forma que serão um espólio para os seus servos. Então vocês saberão que foi o Senhor dos Exércitos que me enviou.
“Cante e alegre-se, ó cidade de Sião! Porque venho fazer de você a minha habitação”, declara o Senhor.
“Muitas nações se unirão ao Senhor naquele dia e se tornarão meu povo. Então você será a minha habitação e você reconhecerá que o Senhor dos Exércitos me enviou a você.
O Senhor herdará Judá como sua propriedade na terra santa e escolherá de novo Jerusalém.
Aquietem-se todos perante o Senhor, porque ele se levantou de sua santa habitação”.
Zacarias 2:1-13

Depois disso ele me mostrou o sumo sacerdote Josué diante do anjo do Senhor, e Satanás, à sua direita, para acusá-lo.
O anjo do Senhor disse a Satanás: “O Senhor o repreenda, Satanás! O Senhor que escolheu Jerusalém o repreenda! Este homem não parece um tição tirado do fogo? ”
Ora, Josué, vestido de roupas impuras, estava de pé diante do anjo.
O anjo disse aos que estavam diante dele: “Tirem as roupas impuras dele”. Depois disse a Josué: “Veja, eu tirei de você o seu pecado, e coloquei vestes nobres sobre você”.
Disse também: “Coloquem um turbante limpo em sua cabeça”. Colocaram o turbante nele e o vestiram, enquanto o anjo do Senhor observava.
O anjo do Senhor exortou a Josué, dizendo:
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Se você andar nos meus caminhos e obedecer aos meus preceitos, você governará a minha casa e também estará encarregado das minhas cortes, e eu lhe darei um lugar entre estes que estão aqui.
” ‘Ouçam bem, sumo sacerdote Josué e seus companheiros sentados diante de você, homens que prefiguram coisas que virão: Vou trazer o meu servo, o Renovo.
Vejam a pedra que coloquei na frente de Josué! Ela tem sete pares de olhos, e eu gravarei nela uma inscrição’, declara o Senhor dos Exércitos, ‘e removerei o pecado desta terra num único dia.
” ‘Naquele dia’, declara o Senhor dos Exércitos, ‘cada um de vocês convidará seu próximo para assentar-se debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira’ “.
Zacarias 3:1-10

Clamo a ti, Senhor; vem depressa! Escuta a minha voz quando clamo a ti.
Seja a minha oração como incenso diante de ti, e o levantar das minhas mãos, como a oferta da tarde.
Coloca, Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta de meus lábios.
Não permitas que o meu coração se volte para o mal, nem que eu me envolva em práticas perversas com os malfeitores. Que eu nunca participe dos seus banquetes!
Fira-me o justo com amor leal e me repreenda, mas não perfume a minha cabeça o óleo do ímpio, pois a minha oração é contra as práticas dos malfeitores.
Quando eles caírem nas mãos da Rocha, o juiz deles, ouvirão as minhas palavras com apreço.
Como a terra é arada e fendida, assim foram espalhados os seus ossos à entrada da sepultura.
Mas os meus olhos estão fixos em ti, ó Soberano Senhor; em ti me refugio; não me entregues à morte.
Guarda-me das armadilhas que prepararam contra mim, das ciladas dos que praticam o mal.
Caiam os ímpios em sua própria rede, enquanto eu escapo ileso.
Salmos 141:1-10

“Há três coisas misteriosas demais para mim, quatro que não consigo entender:
O caminho do abutre no céu, o caminho da serpente sobre a rocha, o caminho do navio em alto mar, e o caminho do homem com uma moça.
“Este é o caminho da adúltera: Ela come e limpa a boca, e diz: ‘Não fiz nada de errado’.
Provérbios 30:18-20

Aquele que tem ouvidos ouça:
Se alguém há de ir para o cativeiro, para o cativeiro irá. Se alguém há de ser morto à espada, à espada haverá de ser morto. Aqui estão a perseverança e a fidelidade dos santos.
Então vi outra besta que saía da terra, com dois chifres como cordeiro, mas que falava como dragão.
Exercia toda a autoridade da primeira besta, em nome dela, e fazia a terra e seus habitantes adorarem a primeira besta, cujo ferimento mortal havia sido curado.
E realizava grandes sinais, chegando a fazer descer fogo do céu à terra, à vista dos homens.
Por causa dos sinais que lhe foi permitido realizar em nome da primeira besta, ela enganou os habitantes da terra. Ordenou-lhes que fizessem uma imagem em honra da besta que fora ferida pela espada e contudo revivera.
Foi-lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira besta, de modo que ela podia falar e fazer que fossem mortos todos os que se recusassem a adorar a imagem.
Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa,
para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome.
Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Seu número é seiscentos e sessenta e seis.
Apocalipse 13:9-18

 

21 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

O “dragão” (Apocalipse 12) está sempre rondando por perto.  Embora possa haver desacordo quanto as identidades da “mulher” e o “filho”, a identidade de Satanás como o “dragão” está clara!  Ele estava esperando para devorar o filho assim que nascesse, até que ele e os seus anjos foram lançados fora das regiões celestiais.  O seu domínio será apenas “a terra e o mar”, e em sua fúria busca todo povo temente à Deus, “pois sabe que lhe resta pouco tempo” (v 12).

O salmista também viu este “dragão”:  “Livra-me, Senhor, dos maus … que no coração tramam planos perversos … afiam a língua como a da serpente; veneno de víbora está em seus lábios” (Salmos 140:1-3).

Apocalipse 12:10-11 revela que temos três armas em nosso arsenal.  Primeiro: “Foi lançado fora o acusador”.  Não estamos mais debaixo da culpa e da condenação!  Segundo: “Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro”.  Temos uma arma poderosa no precioso sangue de Jesus.  Finalmente: “Diante da morte, não amaram a própria vida”.  Não se pode “matar” uma pessoa que já foi “crucificado com Cristo”!

“Portanto, celebrem-no, ó Céus” (Apocalipse 12:12); o destino de nosso inimigo é a derrota!

 

Leitura Diária

(Zacarias 1:1-21 | Salmos 140:1-13 | Provérbios 30:17 | Apocalipse 12:1 – 13:1ª)

No oitavo mês do segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor veio ao profeta Zacarias, filho de Berequias e neto de Ido:
“O Senhor muito se irou contra os seus antepassados.
Por isso diga ao povo: Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Voltem para mim, e eu me voltarei para vocês’, diz o Senhor dos Exércitos.
Não sejam como os seus antepassados aos quais os antigos profetas proclamaram: Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Deixem os seus caminhos e as suas más obras. Mas eles não me ouviram nem me deram atenção’, declara o Senhor.
Onde estão agora os seus antepassados? E os profetas, acaso vivem eles para sempre?
Mas as minhas palavras e os meus decretos, que ordenei aos meus servos, os profetas, alcançaram os seus antepassados e os levaram a converter-se e a dizer: ‘O Senhor dos Exércitos fez conosco o que os nossos caminhos e práticas mereciam, conforme prometeu’ “.
No dia vigésimo quarto do décimo primeiro mês, o mês de sebate, no segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor veio ao profeta Zacarias, filho de Berequias e neto de Ido:
Durante a noite tive uma visão; apareceu na minha frente um homem montado num cavalo vermelho. Ele estava parado entre as murtas num desfiladeiro. Atrás dele havia cavalos vermelhos, marrons e brancos.
Então perguntei: Quem são estes, meu senhor? O anjo que estava falando comigo respondeu: “Eu lhe mostrarei quem são”.
Então o homem que estava entre as murtas explicou: “São aqueles que o Senhor enviou por toda a terra”.
E eles relataram ao anjo do Senhor que estava entre as murtas: “Percorremos toda a terra e a encontramos em paz e tranqüila”.
Então o anjo do Senhor respondeu: “Senhor dos Exércitos, até quando deixarás de ter misericórdia de Jerusalém e das cidades de Judá, com as quais estás indignado há setenta anos? ”
Então o Senhor respondeu palavras boas e confortadoras ao anjo que falava comigo.
E o anjo me disse: “Proclame: Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Eu tenho sido muito zeloso com Jerusalém e Sião,
mas estou muito irado contra as nações que se sentem seguras. Porque eu estava apenas um pouco irado com meu povo, mas elas aumentaram a dor que ele sofria! ’
“Por isso, assim diz o Senhor: ‘Estou voltando-me para Jerusalém com misericórdia, e ali o meu templo será reconstruído. A corda de medir será esticada sobre Jerusalém’, declara o Senhor dos Exércitos.
“Diga mais: Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘As minhas cidades transbordarão de prosperidade novamente, e o Senhor consolará novamente a Sião e escolherá Jerusalém’ “.
Depois eu olhei para o alto, e vi quatro chifres.
Então perguntei ao anjo que falava comigo: “O que são estes? ” Ele me respondeu: “Estes são os chifres que dispersaram Judá, Israel e Jerusalém”.
Depois o Senhor mostrou-me quatro artesãos.
Eu perguntei: “O que eles vêm fazer? ” Ele respondeu: “Estes são os chifres que dispersaram Judá a ponto de ninguém sequer conseguir levantar a cabeça, mas os artesãos vieram aterrorizar e quebrar esses chifres das nações que se levantaram contra o povo de Judá para dispersá-lo”.
Zacarias 1:1-21

Livra-me, Senhor, dos maus; protege-me dos violentos,
que no coração tramam planos perversos e estão sempre provocando guerra.
Afiam a língua como a da serpente; veneno de víbora está em seus lábios. Pausa
Protege-me, Senhor, das mãos dos ímpios; protege-me dos violentos, que pretendem fazer-me tropeçar.
Homens arrogantes prepararam armadilhas contra mim, perversos estenderam as suas redes; no meu caminho armaram ciladas contra mim. Pausa
Eu declaro ao Senhor: “Tu és o meu Deus”. Ouve, Senhor, a minha súplica!
Ó Soberano Senhor, meu salvador poderoso, tu me proteges a cabeça no dia da batalha;
não atendas os desejos dos ímpios, Senhor! Não permitas que os planos deles tenham sucesso, para que não se orgulhem. Pausa
Recaia sobre a cabeça dos que me cercam a maldade que os seus lábios proferiram.
Caiam brasas sobre eles, e sejam lançados ao fogo, em covas das quais jamais possam sair.
Que os difamadores não se estabeleçam na terra, e a desgraça persiga os violentos até à morte.
Sei que o Senhor defenderá a causa do necessitado e fará justiça aos pobres.
Com certeza os justos darão graças ao teu nome, e os homens íntegros viverão na tua presença.
Salmos 140:1-13

“Os olhos de quem zomba do pai, e, zombando, nega obediência à mãe, serão arrancados pelos corvos do vale, e serão devorados pelos filhotes do abutre.
Provérbios 30:17

Vi uma besta que saía do mar. Tinha dez chifres e sete cabeças, com dez coroas, uma sobre cada chifre, e em cada cabeça um nome de blasfêmia.
A besta que vi era semelhante a um leopardo, mas tinha pés como os de urso e boca como a de leão. O dragão deu à besta o seu poder, o seu trono e grande autoridade.
Uma das cabeças da besta parecia ter sofrido um ferimento mortal, mas o ferimento mortal foi curado. Todo o mundo ficou maravilhado e seguiu a besta.
Adoraram o dragão, que tinha dado autoridade à besta, e também adoraram a besta, dizendo: “Quem é como a besta? Quem pode guerrear contra ela? ”
À besta foi dada uma boca para falar palavras arrogantes e blasfemas, e lhe foi autoridade para agir durante quarenta e dois meses.
Ela abriu a boca para blasfemar contra Deus e amaldiçoar o seu nome e o seu tabernáculo, os que habitam no céu.
Foi-lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê-los. Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação.
Todos os habitantes da terra adorarão a besta, a saber, todos aqueles que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo.
Apocalipse 13:1-8

 

20 de Dezembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“Duas filhas tem a sanguessuga. ´Dê! Dê! gritam elas” (Provérbios 30:15).

Algumas pessoas são tomadoras perpétuas e não doadoras.  A atitude delas é que todos devem algo a elas, e respondem com rispidez, amargura e mesquinhez a todos que não correspondem.

Freqüentemente, a calamidade de tais pessoas vem à tona por causa do egoísmo delas, ao ponto de serem repreendidos por Deus.  “Vejam aonde os seus caminhos os levaram.  Bebem, mas não se satisfazem. Vestem-se, mas não se aquecem. Aquele que recebe salário, recebe-o para colocá-lo numa bolsa furada” (Ageu 1:5-6).  O problema delas é que se atentavam apenas para suas próprias casas e não à casa de Deus.  Deus reteve a chuva para ensinar-lhes que o Reino de Deus vem em primeiro lugar.

Dar a um sanguessuga que se opõem ao Reino de Deus e é apenas um tomador é causa perdida.  Tal pessoa nunca prosperará.  Alguém uma vez disse, “se esfregar na direção errado, vire o gato!”  Torna-se um doador e observe Deus fechar os “furos na sua bolsa”!

 

Leitura Diária

(Ageu 1:1 – 2:23 | Salmos 139:1-24 | Provérbios 30:15-16 | Apocalipse 11:1-19)

No primeiro dia do sexto mês do segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor veio por meio do profeta Ageu ao governador de Judá, Zorobabel, filho de Sealtiel, e ao sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, dizendo:
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Este povo afirma: ‘Ainda não chegou o tempo de reconstruir a casa do Senhor’ “.
Por isso, a palavra do Senhor veio novamente por meio do profeta Ageu:
“Acaso é tempo de vocês morarem em casas de fino acabamento, enquanto a minha casa continua destruída? ”
Agora, assim diz o Senhor dos Exércitos: “Vejam aonde os seus caminhos os levaram.
Vocês têm plantado muito, e colhido pouco. Vocês comem, mas não se fartam. Bebem, mas não se satisfazem. Vestem-se, mas não se aquecem. Aquele que recebe salário, recebe-o para colocá-lo numa bolsa furada”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Vejam aonde os seus caminhos os levaram!
Subam o monte para trazer madeira. Construam o templo, para que eu me alegre e nele seja glorificado”, diz o Senhor.
“Vocês esperavam muito, mas, para surpresa de vocês, acabou sendo pouco. E o que vocês trouxeram para casa eu dissipei com um sopro. E por que fiz isso? “, pergunta o Senhor dos Exércitos. “Por causa do meu templo, que ainda está destruído, enquanto cada um de vocês se ocupa com a sua própria casa.
Por isso, por causa de vocês, o céu reteu o orvalho e a terra deixou de dar o seu fruto.
Provoquei uma seca nos campos e nos montes, que atingiu o trigo, o vinho, o azeite e tudo mais que a terra produz, e também os homens e o gado. O trabalho das mãos de vocês foi prejudicado”.
Zorobabel, filho de Sealtiel, o sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e todo o restante do povo obedeceram à voz do Senhor, o seu Deus, por causa das palavras do profeta Ageu, a quem o Senhor, o seu Deus, enviara. E o povo temeu ao Senhor.
Então Ageu, o mensageiro do Senhor, trouxe esta mensagem do Senhor para o povo: “Eu estou com vocês”, declara o Senhor.
Assim o Senhor encorajou o governador de Judá, Zorobabel, filho de Sealtiel, o sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e todo o restante do povo, de modo que eles começaram a trabalhar no templo do Senhor dos Exércitos, o seu Deus,
no dia vinte e quatro do sexto mês do segundo ano do reinado de Dario.
Ageu 1:1-15

No dia vinte e um do sétimo mês, veio a palavra do Senhor por meio do profeta Ageu:
“Pergunte ao governador de Judá, Zorobabel, filho de Sealtiel, ao sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e ao restante do povo, o seguinte:
‘Quem de vocês viu este templo em seu primeiro esplendor? Comparado com ele, não é como nada o que vocês vêem agora?
“Coragem, Zorobabel”, declara o Senhor. “Coragem, sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque. Coragem! Ao trabalho, ó povo da terra! “, declara o Senhor. “Porque eu estou com vocês”, declara o Senhor dos Exércitos.
Esta é a aliança que fiz com vocês quando vocês saíram do Egito: “Meu espírito está entre vocês. Não tenham medo”.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Dentro de pouco tempo farei tremer o céu, a terra, o mar e o continente.
Farei tremer todas as nações, que trarão para cá os seus tesouros, e encherei este templo de glória”, diz o Senhor dos Exércitos.
“Tanto a prata quanto o ouro me pertencem”, declara o Senhor dos Exércitos.
“A glória deste novo templo será maior do que a do antigo”, diz o Senhor dos Exércitos. “E neste lugar estabelecerei a paz”, declara o Senhor dos Exércitos.
No dia vinte e quatro do nono mês, no segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor veio ao profeta Ageu:
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Pergunte aos sacerdotes sobre a seguinte questão da Lei:
Se alguém levar carne consagrada na borda de suas vestes, e com ela tocar num pão, ou em algo cozido, ou em vinho, ou em azeite ou em qualquer comida, isso ficará consagrado? ’ ” Os sacerdotes responderam: “Não”.
Em seguida perguntou Ageu: “Se alguém ficar impuro por tocar num cadáver e depois tocar em alguma dessas coisas, ela ficará impura? “Sim”, responderam os sacerdotes, “ficará impura”.
Então disse Ageu: “É o que acontece com este povo e com esta nação”, declara o Senhor. “Tudo o que fazem e tudo o que me oferecem é impuro”.
“Agora prestem atenção: de hoje em diante reconsiderem. Como eram as coisas antes que se colocasse pedra sobre pedra no templo do Senhor?
Quando alguém chegava a um monte de trigo procurando vinte medidas, havia apenas dez. Quando alguém ia ao depósito de vinho para tirar cinqüenta medidas, só encontrava vinte.
Eu destruí todo o trabalho das mãos de vocês, com mofo, ferrugem e granizo, mas vocês não se voltaram para mim”, declara o Senhor.
“A partir de hoje, dia vinte e quatro do nono mês, atentem para o dia em que os fundamentos do templo do Senhor foram lançados. Reconsiderem:
Ainda há alguma semente no celeiro? Até hoje a videira, a figueira, a romeira e a oliveira não têm dado fruto. Mas, de hoje em diante, abençoarei vocês”.
A palavra do Senhor veio a Ageu pela segunda vez, no dia vinte e quatro do nono mês:
“Diga a Zorobabel, governador de Judá, que eu farei tremer o céu e a terra.
Derrubarei tronos e destruirei o poder dos reinos estrangeiros. Virarei os carros e os seus condutores; os cavalos e os seus cavaleiros cairão, cada um pela espada do seu companheiro”.
“Naquele dia”, declara o Senhor dos Exércitos, “eu o tomarei, meu servo Zorobabel, filho de Sealtiel”, declara o Senhor, “e farei de você um anel de selar, porque o tenho escolhido”, declara o Senhor dos Exércitos.
Ageu 2:1-23

Senhor, tu me sondas e me conheces.
Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos.
Sabes muito bem quando trabalho e quando descanso; todos os meus caminhos te são bem conhecidos.
Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor.
Tu me cercas, por trás e pela frente, e pões a tua mão sobre mim.
Tal conhecimento é maravilhoso demais e está além do meu alcance, é tão elevado que não o posso atingir.
Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença?
Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás.
Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar,
mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá.
Mesmo que eu dissesse que as trevas me encobrirão, e que a luz se tornará noite ao meu redor,
verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz.
Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe.
Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Disso tenho plena certeza.
Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.
Como são preciosos para mim os teus pensamentos, ó Deus! Como é grande a soma deles!
Se eu os contasse seriam mais do que os grãos de areia. Se terminasse de contá-los, eu ainda estaria contigo.
Quem dera matasses os ímpios, ó Deus! Afastem-se de mim os assassinos!
Porque falam de ti com maldade; em vão rebelam-se contra ti.
Acaso não odeio os que te odeiam, Senhor? E não detesto os que se revoltam contra ti?
Tenho por eles ódio implacável! Considero-os inimigos meus!
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações.
Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno.
Salmos 139:1-24

“Duas filhas tem a sanguessuga. ‘Dê! Dê! ’, gritam elas. “Há três coisas que nunca estão satisfeitas, quatro que nunca dizem: ‘É o bastante! ’:
O Sheol, o ventre estéril, a terra, que nunca se dessedenta, e o fogo, que nunca diz: ‘É o bastante! ’
Provérbios 30:15,16

Deram-me um caniço semelhante a uma vara de medir, e me foi dito: “Vá e meça o templo de Deus e o altar, e conte os adoradores que lá estiverem.
Exclua, porém, o pátio exterior; não o meça, pois ele foi dado aos gentios. Eles pisarão a cidade santa durante quarenta e dois meses.
Darei poder às minhas duas testemunhas, e elas profetizarão durante mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco”.
Estas são as duas oliveiras e os dois candelabros que permanecem diante do Senhor da terra.
Se alguém quiser lhes causar dano, da boca deles sairá fogo que devorará os seus inimigos. É assim que deve morrer qualquer pessoa que quiser causar-lhes dano.
Estes homens têm poder para fechar o céu, de modo que não chova durante o tempo em que estiverem profetizando, e têm poder para transformar a água em sangue e ferir a terra com toda sorte de pragas, quantas vezes desejarem.
Quando eles tiverem terminado o seu testemunho, a besta que vem do Abismo os atacará. E irá vencê-los e matá-los.
Os seus cadáveres ficarão expostos na rua principal da grande cidade, que figuradamente é chamada Sodoma e Egito, onde também foi crucificado o seu Senhor.
Durante três dias e meio, homens de todos povos, tribos, línguas e nações contemplarão os seus cadáveres e não permitirão que sejam sepultados.
Os habitantes da terra se alegrarão por causa deles e festejarão, enviando presentes uns aos outros, pois esses dois profetas haviam atormentado os que habitam na terra.
Mas, depois dos três dias e meio, entrou neles um sopro de vida da parte de Deus, e eles ficaram de pé, e um grande terror tomou conta daqueles que os viram.
Então eles ouviram uma forte voz do céu que lhes disse: “Subam para cá”. E eles subiram para o céu numa nuvem, enquanto os seus inimigos olhavam.
Naquela mesma hora houve um forte terremoto, e um décimo da cidade ruiu. Sete mil pessoas foram mortas no terremoto; os sobreviventes ficaram aterrorizados e deram glória ao Deus do céu.
O segundo ai passou; o terceiro ai virá em breve.
O sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve altas vozes no céu que diziam: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre”.
Os vinte e quatro anciãos que estavam assentados em seus tronos diante de Deus prostraram-se sobre seus rostos e adoraram a Deus,
dizendo: “Graças te damos, Senhor Deus todo-poderoso, que és e que eras, porque assumiste o teu grande poder e começaste a reinar.
As nações se iraram; e chegou a tua ira. Chegou o tempo de julgares os mortos e de recompensares os teus servos, os profetas, os teus santos e os que temem o teu nome, tanto pequenos como grandes, e de destruir os que destroem a terra”.
Então foi aberto o santuário de Deus no céu, e ali foi vista a arca da sua aliança. Houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e um grande temporal de granizo.
Apocalipse 11:1-19