25 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

Atraves de todas as lutas de Jó duas coisas lhe trouxe esperança: Alguém, em algum lugar no céu, representaria sua causa, e ele ressuscitaria mesmo se morrer.

“Agora mesmo a minha testemunha está nos céus; nas alturas está o meu advogado” (Jó 16:19).   Jó escreveu sobre um “intercessor” invisível que “defende a causa do homem perante Deus” (vv. 20-21).  João diz que “temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1 João 2:1).  Através de todas as acusações falsas feitos por seus inimigos, Jó se apegava a um pensamento central:  “Eu sei que o meu Redentor vive e que no fim se levantará sobre a terra” (Jó 19:25).

Essa realidade lhe trouxe a uma segunda conclusão:  “E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus” (Jó 19:26). Esta é a afirmação mais clara da crença de Jó sobre a ressurreição!  Ele sabia que mesmo que seu corpo fosse destruido, ele veria Deus em sua própria carne.

Apega-se a estas duas grande verdades e seja encorajado:  O seu “advogado” está orando por você, e um dia, em um corpo glorificado igual ao de Jesus, você o verá face a face!

Leitura diária

(Jó 16:1 – 19:29 | Salmos 40:1-10 | Provérbios 22:1 | 1 Coríntios 16:1-24)

Então respondeu Jó, dizendo:
Tenho ouvido muitas coisas como estas; todos vós sois consoladores molestos.
Porventura não terão fim essas palavras de vento? Ou o que te irrita, para assim responderes?
Falaria eu também como vós falais, se a vossa alma estivesse em lugar da minha alma, ou amontoaria palavras contra vós, e menearia contra vós a minha cabeça?
Antes vos fortaleceria com a minha boca, e a consolação dos meus lábios abrandaria a vossa dor.
Se eu falar, a minha dor não cessa, e, calando-me eu, qual é o meu alívio?
Na verdade, agora tu me tens fatigado; tu assolaste toda a minha companhia,
Testemunha disto é que já me fizeste enrugado, e a minha magreza já se levanta contra mim, e no meu rosto testifica contra mim.
Na sua ira me despedaçou, e ele me perseguiu; rangeu os seus dentes contra mim; aguça o meu adversário os seus olhos contra mim.
Abrem a sua boca contra mim; com desprezo me feriram nos queixos, e contra mim se ajuntam todos.
Entrega-me Deus ao perverso, e nas mãos dos ímpios me faz cair.
Descansado estava eu, porém ele me quebrantou; e pegou-me pela cerviz, e me despedaçou; também me pôs por seu alvo.
Cercam-me os seus flecheiros; atravessa-me os rins, e não me poupa, e o meu fel derrama sobre a terra,
Fere-me com ferimento sobre ferimento; arremete contra mim como um valente.
Cosi sobre a minha pele o cilício, e revolvi a minha cabeça no pó.
O meu rosto está todo avermelhado de chorar, e sobre as minhas pálpebras está a sombra da morte:
Apesar de não haver violência nas minhas mãos, e de ser pura a minha oração.
Ah! terra, não cubras o meu sangue e não haja lugar para ocultar o meu clamor!
Eis que também agora a minha testemunha está no céu, e nas alturas o meu testemunho está.
Os meus amigos são os que zombam de mim; os meus olhos se desfazem em lágrimas diante de Deus.
Ah! se alguém pudesse contender com Deus pelo homem, como o homem pelo seu próximo!
Porque decorridos poucos anos, eu seguirei o caminho por onde não tornarei.
Jó 16:1-22

O meu espírito se vai consumindo, os meus dias se vão apagando, e só tenho perante mim a sepultura.
Deveras estou cercado de zombadores, e os meus olhos contemplam as suas provocações.
Promete agora, e dá-me um fiador para contigo; quem há que me dê a mão?
Porque aos seus corações encobriste o entendimento, por isso não os exaltarás.
O que denuncia os seus amigos, a fim de serem despojados, também os olhos de seus filhos desfalecerão.
Porém a mim me pôs por um provérbio dos povos, de modo que me tornei uma abominação para eles.
Pelo que já se escureceram de mágoa os meus olhos, e já todos os meus membros são como a sombra.
Os retos pasmarão disto, e o inocente se levantará contra o hipócrita.
E o justo seguirá o seu caminho firmemente, e o puro de mãos irá crescendo em força.
Mas, na verdade, tornai todos vós e vinde; porque sábio nenhum acharei entre vós.
Os meus dias passaram, e malograram os meus propósitos, as aspirações do meu coração.
Trocaram a noite em dia; a luz está perto do fim, por causa das trevas.
Se eu esperar, a sepultura será a minha casa; nas trevas estenderei a minha cama.
À corrupção clamo: Tu és meu pai; e aos vermes: Vós sois minha mãe e minha irmã.
Onde, pois, estaria agora a minha esperança? Sim, a minha esperança, quem a poderá ver?
As barras da sepultura descerão quando juntamente no pó teremos descanso.
Jó 17:1-16

Então respondeu Bildade, o suíta, e disse:
Até quando poreis fim às palavras? Considerai bem, e então falaremos.
Por que somos tratados como animais, e como imundos aos vossos olhos?
Oh tu, que despedaças a tua alma na tua ira, será a terra deixada por tua causa? Remover-se-ão as rochas do seu lugar?
Na verdade, a luz dos ímpios se apagará, e a chama do seu fogo não resplandecerá.
A luz se escurecerá nas suas tendas, e a sua lâmpada sobre ele se apagará.
Os seus passos firmes se estreitarão, e o seu próprio conselho o derrubará.
Porque por seus próprios pés é lançado na rede, e andará nos fios enredados.
O laço o apanhará pelo calcanhar, e a armadilha o prenderá.
Está escondida debaixo da terra uma corda, e uma armadilha na vereda.
Os assombros o espantarão de todos os lados, e o perseguirão a cada passo.
Será faminto o seu vigor, e a destruição está pronta ao seu lado.
Serão devorados os membros do seu corpo; sim, o primogênito da morte devorará os seus membros.
A sua confiança será arrancada da sua tenda, onde está confiado, e isto o fará caminhar para o rei dos terrores.
Morará na sua mesma tenda, o que não lhe pertence; espalhar-se-á enxofre sobre a sua habitação.
Por baixo se secarão as suas raízes e por cima serão cortados os seus ramos.
A sua memória perecerá da terra, e pelas praças não terá nome.
Da luz o lançarão nas trevas, e afugentá-lo-ão do mundo.
Não terá filho nem neto entre o seu povo, e nem quem lhe suceda nas suas moradas.
Do seu dia se espantarão os do ocidente, assim como se espantam os do oriente.
Tais são, na verdade, as moradas do perverso, e este é o lugar do que não conhece a Deus.
Jó 18:1-21

Respondeu, porém, Jó, dizendo:
Até quando afligireis a minha alma, e me quebrantareis com palavras?
Já dez vezes me vituperastes; não tendes vergonha de injuriar-me.
Embora haja eu, na verdade, errado, comigo ficará o meu erro.
Se deveras vos quereis engrandecer contra mim, e argüir-me pelo meu opróbrio,
Sabei agora que Deus é o que me transtornou, e com a sua rede me cercou.
Eis que clamo: Violência! Porém não sou ouvido. Grito: Socorro! Porém não há justiça.
O meu caminho ele entrincheirou, e já não posso passar, e nas minhas veredas pôs trevas.
Da minha honra me despojou; e tirou-me a coroa da minha cabeça.
Quebrou-me de todos os lados, e eu me vou; e arrancou a minha esperança, como a uma árvore.
E fez inflamar contra mim a sua ira, e me reputou para consigo, como a seus inimigos.
Juntas vieram as suas tropas, e prepararam contra mim o seu caminho, e se acamparam ao redor da minha tenda.
pôs longe de mim a meus irmãos, e os que me conhecem, como estranhos se apartaram de mim.
Os meus parentes me deixaram, e os meus conhecidos se esqueceram de mim.
Os meus domésticos e as minhas servas me reputaram como um estranho, e vim a ser um estrangeiro aos seus olhos.
Chamei a meu criado, e ele não me respondeu; cheguei a suplicar-lhe com a minha própria boca.
O meu hálito se fez estranho à minha mulher; tanto que supliquei o interesse dos filhos do meu corpo.
Até os pequeninos me desprezam, e, levantando-me eu, falam contra mim.
Todos os homens da minha confidência me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim.
Os meus ossos se apegaram à minha pele e à minha carne, e escapei só com a pele dos meus dentes.
Compadecei-vos de mim, amigos meus, compadecei-vos de mim, porque a mão de Deus me tocou.
Por que me perseguis assim como Deus, e da minha carne não vos fartais?
Quem me dera agora, que as minhas palavras fossem escritas! Quem me dera, fossem gravadas num livro!
E que, com pena de ferro, e com chumbo, para sempre fossem esculpidas na rocha.
Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.
E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus,
Vê-lo-ei, por mim mesmo, e os meus olhos, e não outros o contemplarão; e por isso os meus rins se consomem no meu interior.
Na verdade, que devíeis dizer: Por que o perseguimos? Pois a raiz da acusação se acha em mim.
Temei vós mesmos a espada; porque o furor traz os castigos da espada, para saberdes que há um juízo.
Jó 19:1-29

Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.
Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.
E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no Senhor.
Bem-aventurado o homem que põe no Senhor a sua confiança, e que não respeita os soberbos nem os que se desviam para a mentira.
Muitas são, Senhor meu Deus, as maravilhas que tens operado para conosco, e os teus pensamentos não se podem contar diante de ti; se eu os quisera anunciar, e deles falar, são mais do que se podem contar.
Sacrifício e oferta não quiseste; os meus ouvidos abriste; holocausto e expiação pelo pecado não reclamaste.
Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito.
Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração.
Preguei a justiça na grande congregação; eis que não retive os meus lábios, Senhor, tu o sabes.
Não escondi a tua justiça dentro do meu coração; apregoei a tua fidelidade e a tua salvação. Não escondi da grande congregação a tua benignidade e a tua verdade.
Salmos 40:1-10

Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro.
Provérbios 22:1

Ora, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galácia.
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.
E, quando tiver chegado, mandarei os que por cartas aprovardes, para levar a vossa dádiva a Jerusalém.
E, se valer a pena que eu também vá, irão comigo.
Irei, porém, ter convosco depois de ter passado pela macedônia (porque tenho de passar pela macedônia).
E bem pode ser que fique convosco, e passe também o inverno, para que me acompanheis aonde quer que eu for.
Porque não vos quero agora ver de passagem, mas espero ficar convosco algum tempo, se o Senhor o permitir.
Ficarei, porém, em Éfeso até ao Pentecostes;
Porque uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários.
E, se Timóteo for, vede que esteja sem temor convosco; porque trabalha na obra do Senhor, como eu também.
Portanto, ninguém o despreze, mas acompanhai-o em paz, para que venha ter comigo; pois o espero com os irmãos.
E, acerca do irmão Apolo, roguei-lhe muito que fosse com os irmãos ter convosco, mas, na verdade, não teve vontade de ir agora; irá, porém, quando se lhe oferecer boa ocasião.
Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos.
Todas as vossas coisas sejam feitas com amor.
Agora vos rogo, irmãos (sabeis que a família de Estéfanas é as primícias da Acaia, e que se tem dedicado ao ministério dos santos),
Que também vos sujeiteis aos tais, e a todo aquele que auxilia na obra e trabalha.
Folgo, porém, com a vinda de Estéfanas, de Fortunato e de Acaico; porque estes supriram o que da vossa parte me faltava.
Porque recrearam o meu espírito e o vosso. Reconhecei, pois, aos tais.
As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa.
Todos os irmãos vos saúdam. Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.
Saudação da minha própria mão, de Paulo.
Se alguém não ama ao Senhor Jesus Cristo, seja anátema. Maranata!
A graça do Senhor Jesus Cristo seja convosco.
O meu amor seja com todos vós em Cristo Jesus. Amém.
1 Coríntios 16:1-24

 

24 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“O que você semeia não nasce a não ser que morra.” (1 Coríntios 15:36).

Jó teve uma revelação da Ressurreição ilustrada em um pedaço de tronco: “Para a árvore pelo menos há esperança: se é cortada, torna a brotar” (Jó 14:7).  Ele visualizou um pedaço de tronco, com suas raízes firmemente plantadas no solo e de repente “com o cheiro de água” (v. 9) reaviva.  Aquilo que parecia morto brotou e deu “ramos como se fosse muda plantada” – nova vida após a morte.

Então Jó fez a pergunta de todas as eras: “Quando um homem morre, acaso tornará a viver?  Durante todos os dias do meu árduo labor esperarei pela minha dispensa.” (Jó 14:14).  Jó teve a revelação que, na morte, o corpo físico simplesmente aguarda sua renovação ou mudança.  No dia da ressurreição, ao “cheiro de água”, nossos corpos mortos e sem vida serão reavivados pelo poder do Espírito Santo e se tornarão imortais como Jesus.

Precisa de encorajamento?  “Mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil.” (1 Coríntios 15:58).  A ressurreição está chegando!

Leitura diária

(Jó 12:1 – 15:35 | Salmo 39:1-13 | Provérbios 21:30-31 | 1 Coríntios 15:29-58)

Então Jó respondeu, dizendo:
Na verdade, vós sois o povo, e convosco morrerá a sabedoria.
Também eu tenho entendimento como vós, e não vos sou inferior; e quem não sabe tais coisas como essas?
Eu sou motivo de riso para os meus amigos; eu, que invoco a Deus, e ele me responde; o justo e perfeito serve de zombaria.
Tocha desprezível é, na opinião do que está descansado, aquele que está pronto a vacilar com os pés.
As tendas dos assoladores têm descanso, e os que provocam a Deus estão seguros; nas suas mãos Deus lhes põe tudo.
Mas, pergunta agora às alimárias, e cada uma delas te ensinará; e às aves dos céus, e elas te farão saber;
Ou fala com a terra, e ela te ensinará; até os peixes do mar te contarão.
Quem não entende, por todas estas coisas, que a mão do Senhor fez isto?
Na sua mão está a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda a carne humana.
Porventura o ouvido não provará as palavras, como o paladar prova as comidas?
Com os idosos está a sabedoria, e na longevidade o entendimento.
Com ele está a sabedoria e a força; conselho e entendimento tem.
Eis que ele derruba, e ninguém há que edifique; prende um homem, e ninguém há que o solte.
Eis que ele retém as águas, e elas secam; e solta-as, e elas transtornam a terra.
Com ele está a força e a sabedoria; seu é o que erra e o que o faz errar.
Aos conselheiros leva despojados, e aos juízes faz desvairar.
Solta a autoridade dos reis, e ata o cinto aos seus lombos.
Aos sacerdotes leva despojados, aos poderosos transtorna.
Aos acreditados tira a fala, e tira o entendimento aos anciãos.
Derrama desprezo sobre os príncipes, e afrouxa o cinto dos fortes.
Das trevas descobre coisas profundas, e traz à luz a sombra da morte.
Multiplica as nações e as faz perecer; dispersa as nações, e de novo as reconduz.
Tira o entendimento aos chefes dos povos da terra, e os faz vaguear pelos desertos, sem caminho.
Nas trevas andam às apalpadelas, sem terem luz, e os faz desatinar como ébrios.
Jó 12:1-25

Eis que tudo isto viram os meus olhos, e os meus ouvidos o ouviram e entenderam.
Como vós o sabeis, também eu o sei; não vos sou inferior.
Mas eu falarei ao Todo-Poderoso, e quero defender-me perante Deus.
Vós, porém, sois inventores de mentiras, e vós todos médicos que não valem nada.
Quem dera que vos calásseis de todo, pois isso seria a vossa sabedoria.
Ouvi agora a minha defesa, e escutai os argumentos dos meus lábios.
Porventura por Deus falareis perversidade e por ele falareis mentiras?
Fareis acepção da sua pessoa? Contendereis por Deus?
Ser-vos-ia bom, se ele vos esquadrinhasse? Ou zombareis dele, como se zomba de algum homem?
Certamente vos repreenderá, se em oculto fizerdes acepção de pessoas.
Porventura não vos espantará a sua alteza, e não cairá sobre vós o seu terror?
As vossas memórias são como provérbios de cinza; as vossas defesas como defesas de lodo.
Calai-vos perante mim, e falarei eu, e venha sobre mim o que vier.
Por que razão tomarei eu a minha carne com os meus dentes, e porei a minha vida na minha mão?
Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele.
Também ele será a minha salvação; porém o hipócrita não virá perante ele.
Ouvi com atenção as minhas palavras, e com os vossos ouvidos a minha declaração.
Eis que já tenho ordenado a minha causa, e sei que serei achado justo.
Quem é o que contenderá comigo? Se eu agora me calasse, renderia o espírito.
Duas coisas somente não faças para comigo; então não me esconderei do teu rosto:
Desvia a tua mão para longe, de mim, e não me espante o teu terror.
Chama, pois, e eu responderei; ou eu falarei, e tu me responderás.
Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado.
Por que escondes o teu rosto, e me tens por teu inimigo?
Porventura acossarás uma folha arrebatada pelo vento? E perseguirás o restolho seco?
Por que escreves contra mim coisas amargas e me fazes herdar as culpas da minha mocidade?
Também pões os meus pés no tronco, e observas todos os meus caminhos, e marcas os sinais dos meus pés.
E ele me consome como a podridão, e como a roupa, à qual rói a traça.
Jó 13:1-28

O homem, nascido da mulher, é de poucos dias e farto de inquietação.
Sai como a flor, e murcha; foge também como a sombra, e não permanece.
E sobre este tal abres os teus olhos, e a mim me fazes entrar no juízo contigo.
Quem do imundo tirará o puro? Ninguém.
Visto que os seus dias estão determinados, contigo está o número dos seus meses; e tu lhe puseste limites, e não passará além deles.
Desvia-te dele, para que tenha repouso, até que, como o jornaleiro, tenha contentamento no seu dia.
Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos.
Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó,
Ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta.
Porém, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então onde está ele?
Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco,
Assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus, não acordará nem despertará de seu sono.
Quem dera que me escondesses na sepultura, e me ocultasses até que a tua ira se fosse; e me pusesses um limite, e te lembrasses de mim!
Morrendo o homem, porventura tornará a viver? Todos os dias de meu combate esperaria, até que viesse a minha mudança.
Chamar-me-ias, e eu te responderia, e terias afeto à obra de tuas mãos.
Mas agora contas os meus passos; porventura não vigias sobre o meu pecado?
A minha transgressão está selada num saco, e amontoas as minhas iniqüidades.
E, na verdade, caindo a montanha, desfaz-se; e a rocha se remove do seu lugar.
As águas gastam as pedras, as cheias afogam o pó da terra; e tu fazes perecer a esperança do homem;
Tu para sempre prevaleces contra ele, e ele passa; mudas o seu rosto, e o despedes.
Os seus filhos recebem honra, sem que ele o saiba; são humilhados, sem que ele o perceba;
Mas a sua carne nele tem dores, e a sua alma nele lamenta.
Jó 14:1-22

Então respondeu Elifaz o temanita, e disse:
Porventura proferirá o sábio và sabedoria? E encherá do vento oriental o seu ventre,
Argüindo com palavras que de nada servem, e com razões, de que nada aproveita?
E tu tens feito vão o temor, e diminuis os rogos diante de Deus.
Porque a tua boca declara a tua iniqüidade; e tu escolhes a língua dos astutos.
A tua boca te condena, e não eu, e os teus lábios testificam contra ti.
És tu porventura o primeiro homem que nasceu? Ou foste formado antes dos outeiros?
Ou ouviste o secreto conselho de Deus e a ti só limitaste a sabedoria?
Que sabes tu, que nós não saibamos? Que entendes, que não haja em nós?
Também há entre nós encanecidos e idosos, muito mais idosos do que teu pai.
Porventura fazes pouco caso das consolações de Deus, e da suave palavra que te dirigimos?
Por que te arrebata o teu coração, e por que piscam os teus olhos?
Para virares contra Deus o teu espírito, e deixares sair tais palavras da tua boca?
Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce da mulher, para ser justo?
Eis que ele não confia nos seus santos, e nem os céus são puros aos seus olhos.
Quanto mais abominável e corrupto é o homem que bebe a iniqüidade como a água?
Escuta-me, mostrar-te-ei; e o que tenho visto te contarei
(O que os sábios anunciaram, ouvindo-o de seus pais, e o não ocultaram;
Aos quais somente se dera a terra, e nenhum estranho passou por entre eles):
Todos os dias o ímpio é atormentado, e se reserva, para o tirano, um certo número de anos.
O sonido dos horrores está nos seus ouvidos; até na paz lhe sobrevém o assolador.
Não crê que tornará das trevas, mas que o espera a espada.
Anda vagueando por pão, dizendo: Onde está? Bem sabe que já o dia das trevas lhe está preparado, à mão.
Assombram-no a angústia e a tribulação; prevalecem contra ele, como o rei preparado para a peleja;
Porque estendeu a sua mão contra Deus, e contra o Todo-Poderoso se embraveceu.
Arremete contra ele com a dura cerviz, e contra os pontos grossos dos seus escudos.
Porquanto cobriu o seu rosto com a sua gordura, e criou gordura nas ilhargas.
E habitou em cidades assoladas, em casas em que ninguém morava, que estavam a ponto de fazer-se montões de ruínas.
Não se enriquecerá, nem subsistirá a sua fazenda, nem se estenderão pela terra as suas possessões.
Não escapará das trevas; a chama do fogo secará os seus renovos, e ao sopro da sua boca desaparecerá.
Não confie, pois, na vaidade, enganando-se a si mesmo, porque a vaidade será a sua recompensa.
Antes do seu dia ela se consumará; e o seu ramo não reverdecerá.
Sacudirá as suas uvas verdes, como as da vide, e deixará cair a sua flor como a oliveira,
Porque a congregação dos hipócritas se fará estéril, e o fogo consumirá as tendas do suborno.
Concebem a malícia, e dão à luz a iniqüidade, e o seu ventre prepara enganos.
Jó 15:1-35

Eu disse: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua; guardarei a boca com um freio, enquanto o ímpio estiver diante de mim.
Com o silêncio fiquei mudo; calava-me mesmo acerca do bem, e a minha dor se agravou.
Esquentou-se-me o coração dentro de mim; enquanto eu meditava se acendeu um fogo; então falei com a minha língua:
Faze-me conhecer, Senhor, o meu fim, e a medida dos meus dias qual é, para que eu sinta quanto sou frágil.
Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Selá.)
Na verdade, todo homem anda numa và aparência; na verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas, e não sabem quem as levará.
Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.
Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o opróbrio dos loucos.
Emudeci; não abro a minha boca, porquanto tu o fizeste.
Tira de sobre mim a tua praga; estou desfalecido pelo golpe da tua mão.
Quando castigas o homem, com repreensões por causa da iniqüidade, fazes com que a sua beleza se consuma como a traça; assim todo homem é vaidade. (Selá.)
Ouve, Senhor, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas, porque sou um estrangeiro contigo e peregrino, como todos os meus pais.
Poupa-me, até que tome alento, antes que me vá, e não seja mais.
Salmos 39:1-13

Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o Senhor.
Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do Senhor vem a vitória.
Provérbios 21:30,31

Doutra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se batizam eles então pelos mortos?
Por que estamos nós também a toda a hora em perigo?
Eu protesto que cada dia morro, gloriando-me em vós, irmãos, por Cristo Jesus nosso Senhor.
Se, como homem, combati em Éfeso contra as bestas, que me aproveita isso, se os mortos não ressuscitam? Comamos e bebamos, que amanhã morreremos.
Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.
Vigiai justamente e não pequeis; porque alguns ainda não têm o conhecimento de Deus; digo-o para vergonha vossa.
Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?
Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer.
E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente.
Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo.
Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.
E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres.
Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela.
Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.
Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.
Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.
Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.
E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.
E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.
Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;
Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.
E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?
Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.
Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.
1 Coríntios 15:29-58

 

23 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“Se tão somente houvesse alguém para servir de árbitrio entre nós, para impor as mãos sobre nós dois” (Jó 9:33).

O clamor do homem através das eras tem sido por alguém que serviria como juiz no jogo da vida.  Jó previa um homem que poderia “impor as mãos sobre nós dois” e nos reconciliar quando ofendemos a Deus.  Paulo descreve o homem que Jó buscava na ressurreição de Cristo: “Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressureição dos mortos veio por meio de um só homem.” (1 Coríntios 15:21).

Precisou um homem, um homem-Deus, vindo a terra e morrendo como homem para os nossos pecados e sendo ressurreto como Filho de Deus.  Jesus, o segundo Adão, é o juiz, Aquele que pode se colocar entre Deus e o homem para reconciliar os dois.  A ressurreição Dele nos assegura que no final Ele colocará “todos os seus inimigos … debaixo de seus pés” (1 Coríntios 15:25).

Olhemos a Jesus como a nossa esperança, agora e para todo o sempre!

Leitura diária

(Jó 8:1 – 11:20 | Salmo 38:1-22 | Provérbios 21:28-29 | 1 Coríntios 15:1-28)

Então respondendo Bildade o suíta, disse:
Até quando falarás tais coisas, e as palavras da tua boca serão como um vento impetuoso?
Porventura perverteria Deus o direito? E perverteria o TodoPoderoso a justiça?
Se teus filhos pecaram contra ele, também ele os lançou na mão da sua transgressão.
Mas, se tu de madrugada buscares a Deus, e ao Todo-Poderoso pedires misericórdia;
Se fores puro e reto, certamente logo despertará por ti, e restaurará a morada da tua justiça.
O teu princípio, na verdade, terá sido pequeno, porém o teu último estado crescerá em extremo.
Pois, eu te peço, pergunta agora às gerações passadas; e prepara-te para a inquirição de seus pais.
Porque nós somos de ontem, e nada sabemos; porquanto nossos dias sobre a terra são como a sombra.
Porventura não te ensinarão eles, e não te falarão, e do seu coração não tirarão palavras?
Porventura cresce o junco sem lodo? Ou cresce a espadana sem água?
Estando ainda no seu verdor, ainda que não cortada, todavia antes de qualquer outra erva se seca.
Assim são as veredas de todos quantos se esquecem de Deus; e a esperança do hipócrita perecerá.
Cuja esperança fica frustrada; e a sua confiança será como a teia de aranha.
Encostar-se-á à sua casa, mas ela não subsistirá; apegar-se-á a ela, mas não ficará em pé.
Ele é viçoso perante o sol, e os seus renovos saem sobre o seu jardim;
As suas raízes se entrelaçam, junto à fonte; para o pedregal atenta.
Se Deus o consumir do seu lugar, negá-lo-á este, dizendo: Nunca te vi!
Eis que este é a alegria do seu caminho, e outros brotarão do pó.
Eis que Deus não rejeitará ao reto; nem toma pela mão aos malfeitores;
Até que de riso te encha a boca, e os teus lábios de júbilo.
Os que te odeiam se vestirão de confusão, e a tenda dos ímpios não existirá mais.
Jó 8:1-22

Então Jó respondeu, dizendo:
Na verdade sei que assim é; porque, como se justificaria o homem para com Deus?
Se quiser contender com ele, nem a uma de mil coisas lhe poderá responder.
Ele é sábio de coração, e forte em poder; quem se endureceu contra ele, e teve paz?
Ele é o que remove os montes, sem que o saibam, e o que os transtorna no seu furor.
O que sacode a terra do seu lugar, e as suas colunas estremecem.
O que fala ao sol, e ele não nasce, e sela as estrelas.
O que sozinho estende os céus, e anda sobre os altos do mar.
O que fez a Ursa, o Órion, e o Sete-estrelo, e as recâmaras do sul.
O que faz coisas grandes e inescrutáveis; e maravilhas sem número.
Eis que ele passa por diante de mim, e não o vejo; e torna a passar perante mim, e não o sinto.
Eis que arrebata a presa; quem lha fará restituir? Quem lhe dirá: Que é o que fazes?
Deus não revogará a sua ira; debaixo dele se encurvam os auxiliadores soberbos.
Quanto menos lhe responderia eu, ou escolheria diante dele as minhas palavras!
Porque, ainda que eu fosse justo, não lhe responderia; antes ao meu Juiz pediria misericórdia.
Ainda que chamasse, e ele me respondesse, nem por isso creria que desse ouvidos à minha voz.
Porque me quebranta com uma tempestade, e multiplica as minhas chagas sem causa.
Não me permite respirar, antes me farta de amarguras.
Quanto às forças, eis que ele é o forte; e, quanto ao juízo, quem me citará com ele?
Se eu me justificar, a minha boca me condenará; se for perfeito, então ela me declarará perverso.
Se for perfeito, não estimo a minha alma; desprezo a minha vida.
A coisa é esta; por isso eu digo que ele consome ao perfeito e ao ímpio.
Quando o açoite mata de repente, então ele zomba da prova dos inocentes.
A terra é entregue nas mãos do ímpio; ele cobre o rosto dos juízes; se não é ele, quem é, logo?
E os meus dias são mais velozes do que um correio; fugiram, e não viram o bem.
Passam como navios veleiros; como águia que se lança à comida.
Se eu disser: Eu me esquecerei da minha queixa, e mudarei o meu aspecto e tomarei alento,
Receio todas as minhas dores, porque bem sei que não me terás por inocente.
E, sendo eu ímpio, por que trabalharei em vão?
Ainda que me lave com água de neve, e purifique as minhas mãos com sabão,
Ainda me submergirás no fosso, e as minhas próprias vestes me abominarão.
Porque ele não é homem, como eu, a quem eu responda, vindo juntamente a juízo.
Não há entre nós árbitro que ponha a mão sobre nós ambos.
Tire ele a sua vara de cima de mim, e não me amedronte o seu terror.
Então falarei, e não o temerei; porque não sou assim em mim mesmo.
Jó 9:1-35

A minha alma tem tédio da minha vida; darei livre curso à minha queixa, falarei na amargura da minha alma.
Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo.
Parece-te bem que me oprimas, que rejeites o trabalho das tuas mãos e resplandeças sobre o conselho dos ímpios?
Tens tu porventura olhos de carne? Vês tu como vê o homem?
São os teus dias como os dias do homem? Ou são os teus anos como os anos de um homem,
Para te informares da minha iniqüidade, e averiguares o meu pecado?
Bem sabes tu que eu não sou iníquo; todavia ninguém há que me livre da tua mão.
As tuas mãos me fizeram e me formaram completamente; contudo me consomes.
Peço-te que te lembres de que como barro me formaste e me farás voltar ao pó.
Porventura não me vazaste como leite, e como queijo não me coalhaste?
De pele e carne me vestiste, e de ossos e nervos me teceste.
Vida e misericórdia me concedeste; e o teu cuidado guardou o meu espírito.
Porém estas coisas as ocultaste no teu coração; bem sei eu que isto esteve contigo.
Se eu pecar, tu me observas; e da minha iniqüidade não me escusarás.
Se for ímpio, ai de mim! E se for justo, não levantarei a minha cabeça; farto estou da minha ignomínia; e vê qual é a minha aflição,
Porque se vai crescendo; tu me caças como a um leão feroz; tornas a fazer maravilhas para comigo.
Tu renovas contra mim as tuas testemunhas, e multiplicas contra mim a tua ira; reveses e combate estão comigo.
Por que, pois, me tiraste da madre? Ah! se então tivera expirado, e olho nenhum me visse!
Então eu teria sido como se nunca fora; e desde o ventre seria levado à sepultura!
Porventura não são poucos os meus dias? Cessa, pois, e deixa-me, para que por um pouco eu tome alento.
Antes que eu vá para o lugar de que não voltarei, à terra da escuridão e da sombra da morte;
Terra escuríssima, como a própria escuridão, terra da sombra da morte e sem ordem alguma, e onde a luz é como a escuridão.
Jó 10:1-22

Então respondeu Zofar, o naamatita, e disse:
Porventura não se dará resposta à multidão de palavras? E o homem falador será justificado?
Às tuas mentiras se hão de calar os homens? E zombarás tu sem que ninguém te envergonhe?
Pois dizes: A minha doutrina é pura, e limpo sou aos teus olhos.
Mas na verdade, quem dera que Deus falasse e abrisse os seus lábios contra ti!
E te fizesse saber os segredos da sabedoria, que é multíplice em eficácia; sabe, pois, que Deus exige de ti menos do que merece a tua iniqüidade.
Porventura alcançarás os caminhos de Deus, ou chegarás à perfeição do Todo-Poderoso?
Como as alturas dos céus é a sua sabedoria; que poderás tu fazer? É mais profunda do que o inferno, que poderás tu saber?
Mais comprida é a sua medida do que a terra, e mais larga do que o mar.
Se ele passar, aprisionar, ou chamar a juízo, quem o impedirá?
Porque ele conhece aos homens vãos, e vê o vício; e não o terá em consideração?
Mas o homem vão é falto de entendimento; sim, o homem nasce como a cria do jumento montês.
Se tu preparares o teu coração, e estenderes as tuas mãos para ele;
Se há iniqüidade na tua mão, lança-a para longe de ti e não deixes habitar a injustiça nas tuas tendas.
Porque então o teu rosto levantarás sem mácula; e estarás firme, e não temerás.
Porque te esquecerás do cansaço, e lembrar-te-ás dele como das águas que já passaram.
E a tua vida mais clara se levantará do que o meio-dia; ainda que haja trevas, será como a manhã.
E terás confiança, porque haverá esperança; olharás em volta e repousarás seguro.
E deitar-te-ás, e ninguém te espantará; muitos suplicarão o teu favor.
Porém os olhos dos ímpios desfalecerão, e perecerá o seu refúgio; e a sua esperança será o expirar da alma.
Jó 11:1-20

Ó Senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.
Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e a tua mão sobre mim desceu.
Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há paz em meus ossos, por causa do meu pecado.
Pois já as minhas iniqüidades ultrapassam a minha cabeça; como carga pesada são demais para as minhas forças.
As minhas chagas cheiram mal e estão corruptas, por causa da minha loucura.
Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando todo o dia.
Porque as minhas ilhargas estão cheias de ardor, e não há coisa sã na minha carne.
Estou fraco e mui quebrantado; tenho rugido pela inquietação do meu coração.
Senhor, diante de ti está todo o meu desejo, e o meu gemido não te é oculto.
O meu coração dá voltas, a minha força me falta; quanto à luz dos meus olhos, ela me deixou.
Os meus amigos e os meus companheiros estão ao longe da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância.
Também os que buscam a minha vida me armam laços e os que procuram o meu mal falam coisas que danificam, e imaginam astúcias todo o dia.
Mas eu, como surdo, não ouvia, e era como mudo, que não abre a boca.
Assim eu sou como homem que não ouve, e em cuja boca não há reprovação.
Porque em ti, Senhor, espero; tu, Senhor meu Deus, me ouvirás.
Porque dizia eu: Ouve-me, para que não se alegrem de mim. Quando escorrega o meu pé, eles se engrandecem contra mim.
Porque estou prestes a coxear; a minha dor está constantemente perante mim.
Porque eu declararei a minha iniqüidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado.
Mas os meus inimigos estão vivos e são fortes, e os que sem causa me odeiam se multiplicam.
Os que dão mal pelo bem são meus adversários, porquanto eu sigo o que é bom.
Não me desampares, Senhor, meu Deus, não te alongues de mim.
Apressa-te em meu auxílio, Senhor, minha salvação.
Salmos 38:1-22

A falsa testemunha perecerá, porém o homem que dá ouvidos falará sempre.
O homem ímpio endurece o seu rosto; mas o reto considera o seu caminho.
Provérbios 21:28,29

Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis.
Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão.
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.
Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus.
Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo.
Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim haveis crido.
Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos?
E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.
E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam.
Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.
E também os que dormiram em Cristo estão perdidos.
Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.
Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.
Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem.
Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.
Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda.
Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força.
Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés.
Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.
Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.
1 Coríntios 15:1-28

 

22 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

A Igreja existe por duas razões:  A edificação do crente e a evangelização do incrédulo.  Todos os dons do Espírito tem a intenção de edificar (encorajar) tanto a pessoa que libera o dom quanto aqueles que recebem o dom.

Quando vamos a igreja deveríamos ter este pensamente, O que Deus tem me dado hoje que eu posso dar aos meus irmãos com quem eu me congrego?  É “um salmo ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em uma língua ou uma interpretação”? (1 Coríntios 14:26).  Se eu compartilho com amor todos poderão “ser instruídos e encorajados” (v. 31) pelo que compartilho.  Não apenas estaremos ministrando aos crentes, mas os incrédulos serão tocados em seus corações e dirão: “Deus realmente está entre vocês!” (v. 25).

É de suma importância que nós, os membros do Corpo de Cristo, entendamos os dons e movemos neles em amor.  Quando liberamos os dons do Espírito que estão dentro de nós, crescemos em graça, outros crentes são edificados e os incrédulos se arrependem.

Qual o dom que você está trazendo à Igreja?

Leitura diária

(Jó 4:1 – 7:21 | Salmo 37:30-40 | Provérbios 21:27 | 1 Coríntios 14:18-40)

Então respondeu Elifaz o temanita, e disse:
Se intentarmos falar-te, enfadar-te-ás? Mas quem poderia conter as palavras?
Eis que ensinaste a muitos, e tens fortalecido as mãos fracas.
As tuas palavras firmaram os que tropeçavam e os joelhos desfalecentes tens fortalecido.
Mas agora, que se trata de ti, te enfadas; e tocando-te a ti, te perturbas.
Porventura não é o teu temor de Deus a tua confiança, e a tua esperança a integridade dos teus caminhos?
Lembra-te agora qual é o inocente que jamais pereceu? E onde foram os sinceros destruídos?
Segundo eu tenho visto, os que lavram iniqüidade, e semeiam mal, segam o mesmo.
Com o hálito de Deus perecem; e com o sopro da sua ira se consomem.
O rugido do leão, e a voz do leão feroz, e os dentes dos leõezinhos se quebram.
Perece o leão velho, porque não tem presa; e os filhos da leoa andam dispersos.
Uma coisa me foi trazida em segredo; e os meus ouvidos perceberam um sussurro dela.
Entre pensamentos vindos de visões da noite, quando cai sobre os homens o sono profundo,
Sobrevieram-me o espanto e o tremor, e todos os meus ossos estremeceram.
Então um espírito passou por diante de mim; fez-me arrepiar os cabelos da minha carne.
Parou ele, porém não conheci a sua feição; um vulto estava diante dos meus olhos; houve silêncio, e ouvi uma voz que dizia:
Seria porventura o homem mais justo do que Deus? Seria porventura o homem mais puro do que o seu Criador?
Eis que ele não confia nos seus servos e aos seus anjos atribui loucura;
Quanto menos àqueles que habitam em casas de lodo, cujo fundamento está no pó, e são esmagados como a traça!
Desde a manhã até à tarde são despedaçados; e eternamente perecem sem que disso se faça caso.
Porventura não passa com eles a sua excelência? Morrem, mas sem sabedoria.
Jó 4:1-21

Chama agora; há alguém que te responda? E para qual dos santos te virarás?
Porque a ira destrói o louco; e o zelo mata o tolo.
Bem vi eu o louco lançar raízes; porém logo amaldiçoei a sua habitação.
Seus filhos estão longe da salvação; e são despedaçados às portas, e não há quem os livre.
A sua messe, o faminto a devora, e até dentre os espinhos a tira; e o salteador traga a sua fazenda.
Porque do pó não procede a aflição, nem da terra brota o trabalho.
Mas o homem nasce para a tribulação, como as faíscas se levantam para voar.
Porém eu buscaria a Deus; e a ele entregaria a minha causa.
Ele faz coisas grandes e inescrutáveis, e maravilhas sem número.
Ele dá a chuva sobre a terra, e envia águas sobre os campos.
Para pôr aos abatidos num lugar alto; e para que os enlutados se exaltem na salvação.
Ele aniquila as imaginações dos astutos, para que as suas mãos não possam levar coisa alguma a efeito.
Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e o conselho dos perversos se precipita.
Eles de dia encontram as trevas; e ao meio-dia andam às apalpadelas como de noite.
Porém ao necessitado livra da espada, e da boca deles, e da mão do forte.
Assim há esperança para o pobre; e a iniqüidade tapa a sua boca.
Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso.
Porque ele faz a chaga, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam.
Em seis angústias te livrará; e na sétima o mal não te tocará.
Na fome te livrará da morte; e na guerra, da violência da espada.
Do açoite da língua estarás encoberto; e não temerás a assolação, quando vier.
Da assolação e da fome te rirás, e os animais da terra não temerás.
Porque até com as pedras do campo terás o teu acordo, e as feras do campo serão pacíficas contigo.
E saberás que a tua tenda está em paz; e visitarás a tua habitação, e não pecarás.
Também saberás que se multiplicará a tua descendência e a tua posteridade como a erva da terra,
Na velhice irás à sepultura, como se recolhe o feixe de trigo a seu tempo.
Eis que isto já o havemos inquirido, e assim é; ouve-o, e medita nisso para teu bem.
Jó 5:1-27

Então Jó respondeu, dizendo:
Oh! se a minha mágoa retamente se pesasse, e a minha miséria juntamente se pusesse numa balança!
Porque, na verdade, mais pesada seria, do que a areia dos mares; por isso é que as minhas palavras têm sido engolidas.
Porque as flechas do TodoPoderoso estão em mim, cujo ardente veneno suga o meu espírito; os terrores de Deus se armam contra mim.
Porventura zurrará o jumento montês junto à relva? Ou mugirá o boi junto ao seu pasto?
Ou comer-se-á sem sal o que é insípido? Ou haverá gosto na clara do ovo?
A minha alma recusa tocá-las, pois são para mim como comida repugnante.
Quem dera que se cumprisse o meu desejo, e que Deus me desse o que espero!
E que Deus quisesse quebrantar-me, e soltasse a sua mão, e me acabasse!
Isto ainda seria a minha consolação, e me refrigeraria no meu tormento, não me poupando ele; porque não ocultei as palavras do Santo.
Qual é a minha força, para que eu espere? Ou qual é o meu fim, para que tenha ainda paciência?
É porventura a minha força a força da pedra? Ou é de cobre a minha carne?
Está em mim a minha ajuda? Ou desamparou-me a verdadeira sabedoria?
Ao que está aflito devia o amigo mostrar compaixão, ainda ao que deixasse o temor do Todo-Poderoso.
Meus irmãos aleivosamente me trataram, como um ribeiro, como a torrente dos ribeiros que passam,
Que estão encobertos com a geada, e neles se esconde a neve,
No tempo em que se derretem com o calor, se desfazem, e em se aquentando, desaparecem do seu lugar.
Desviam-se as veredas dos seus caminhos; sobem ao vácuo, e perecem.
Os caminhantes de Tema os vêem; os passageiros de Sabá esperam por eles.
Ficam envergonhados, por terem confiado e, chegando ali, se confundem.
Agora sois semelhantes a eles; vistes o terror, e temestes.
Acaso disse eu: Dai-me ou oferecei-me presentes de vossos bens?
Ou livrai-me das mãos do opressor? Ou redimi-me das mãos dos tiranos?
Ensinai-me, e eu me calarei; e fazei-me entender em que errei.
Oh! quão fortes são as palavras da boa razão! Mas que é o que censura a vossa argüição?
Porventura buscareis palavras para me repreenderdes, visto que as razões do desesperado são como vento?
Mas antes lançais sortes sobre o órfão; e cavais uma cova para o amigo.
Agora, pois, se sois servidos, olhai para mim; e vede se minto em vossa presença.
Voltai, pois, não haja iniqüidade; tornai-vos, digo, que ainda a minha justiça aparecerá nisso.
Há porventura iniqüidade na minha língua? Ou não poderia o meu paladar distinguir coisas iníquas?
Jó 6:1-30

Porventura não tem o homem guerra sobre a terra? E não são os seus dias como os dias do jornaleiro?
Como o servo que suspira pela sombra, e como o jornaleiro que espera pela sua paga,
Assim me deram por herança meses de vaidade; e noites de trabalho me prepararam.
Deitando-me a dormir, então digo: Quando me levantarei? Mas comprida é a noite, e farto-me de me revolver na cama até à alva.
A minha carne se tem vestido de vermes e de torrões de pó; a minha pele está gretada, e se fez abominável.
Os meus dias são mais velozes do que a lançadeira do tecelão, e acabam-se, sem esperança.
Lembra-te de que a minha vida é como o vento; os meus olhos não tornarão a ver o bem.
Os olhos dos que agora me vêem não me verão mais; os teus olhos estarão sobre mim, porém não serei mais.
Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir.
Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá.
Por isso não reprimirei a minha boca; falarei na angústia do meu espírito; queixar-me-ei na amargura da minha alma.
Sou eu porventura o mar, ou a baleia, para que me ponhas uma guarda?
Dizendo eu: Consolar-me-á a minha cama; meu leito aliviará a minha ânsia;
Então me espantas com sonhos, e com visões me assombras;
Assim a minha alma escolheria antes a estrangulação; e antes a morte do que a vida.
A minha vida abomino, pois não viveria para sempre; retira-te de mim; pois vaidade são os meus dias.
Que é o homem, para que tanto o engrandeças, e ponhas nele o teu coração,
E cada manhã o visites, e cada momento o proves?
Até quando não apartarás de mim, nem me largarás, até que engula a minha saliva?
Se pequei, que te farei, ó Guarda dos homens? Por que fizeste de mim um alvo para ti, para que a mim mesmo me seja pesado?
E por que não perdoas a minha transgressão, e não tiras a minha iniqüidade? Porque agora me deitarei no pó, e de madrugada me buscarás, e não existirei mais.
Jó 7:1-21

A boca do justo fala a sabedoria; a sua língua fala do juízo.
A lei do seu Deus está em seu coração; os seus passos não resvalarão.
O ímpio espreita ao justo, e procura matá-lo.
O Senhor não o deixará em suas mãos, nem o condenará quando for julgado.
Espera no Senhor, e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem desarraigados.
Vi o ímpio com grande poder espalhar-se como a árvore verde na terra natal.
Mas passou e já não aparece; procurei-o, mas não se pôde encontrar.
Nota o homem sincero, e considera o reto, porque o fim desse homem é a paz.
Quanto aos transgressores, serão à uma destruídos, e as relíquias dos ímpios serão destruídas.
Mas a salvação dos justos vem do Senhor; ele é a sua fortaleza no tempo da angústia.
E o Senhor os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nele.
Salmos 37:30-40
O sacrifício dos ímpios já é abominação; quanto mais oferecendo-o com má intenção!
Provérbios 21:27

Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.
Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.
Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.
Está escrito na lei: Por gente de outras línguas, e por outros lábios, falarei a este povo; e ainda assim me não ouvirão, diz o Senhor.
De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis.
Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?
Mas, se todos profetizarem, e algum indouto ou infiel entrar, de todos é convencido, de todos é julgado.
E, portanto, os segredos do seu coração ficam manifestos, e assim, lançando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, publicando que Deus está verdadeiramente entre vós.
Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.
E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete.
Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus.
E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.
Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.
Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados.
E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.
As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei.
E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja.
Porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós?
Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.
Mas, se alguém ignora isto, que ignore.
Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas.
Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.
1 Coríntios 14:18-40

 

21 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“Os ímpios tramam contra os justos e rosnam contra eles” (Salmo 37:12).  Quanta fúria Satanás tinha contra Jó, um homem “íntegro e justo” (Jó 1:1)!  Satanás continuamente conspirou, planejou e acusou Jó perante Deus até que Deus finalmente o liberou para atacar Jó dentro dos limites de uma cerca protetora (v. 10).

Como Deus pode fazer uma coisa como essa?  Confiou que Jó continuaria a serví-Lo, não importa as circunstâncias, e que Jó prevaleceria sobre o inimigo.

“O Senhor, porém, ri dos ímpios, pois sabe que o dia deles está chegando.” (Salmo 37:13).  Como Deus pode rir quando nós estamos debaixo tanto ataque dos ímpios?  A Bíblia registra que Deus ri somente quando alguém O ameaça: “Façamos em pedaços as suas correntes, lancemos de nós as suas algemas!” (Salmo 2:3-4).

Deus confia, e também confia em você, senão não permitiria que você enfrentasse provações. Quando você ri dos ataques do inimigo, está simplesmente tratando Satanás da mesma maneira que Deus o trata.  Atravesse sua provação com o riso de Deus:  Ele não se sente ameaçado e você também não deve sentir-se ameaçado!

Leitura diária

(Jó 1:1 – 3:26 | Salmo 37:12-29 | Provérbios 21:25-26 | 1 Coríntios 14:1-17)

Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal.
E nasceram-lhe sete filhos e três filhas.
E o seu gado era de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; eram também muitíssimos os servos a seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos os do oriente.
E iam seus filhos à casa uns dos outros e faziam banquetes cada um por sua vez; e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles.
Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.
E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.
Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.
E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal.
Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde?
Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra.
Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face.
E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.
E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito,
Que veio um mensageiro a Jó, e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pastavam junto a eles;
E deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.
Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os servos, e os consumiu, e só eu escapei para trazer-te a nova.
Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Ordenando os caldeus três tropas, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos servos feriram ao fio da espada; e só eu escapei para trazer-te a nova.
Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,
Eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, que caiu sobre os jovens, e morreram; e só eu escapei para trazer-te a nova.
Então Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou.
E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.
Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.
Jó 1:1-22

E, vindo outro dia, em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles, apresentar-se perante o SENHOR.
Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E respondeu Satanás ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela.
E disse o Senhor a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal, e que ainda retém a sua sinceridade, havendo-me tu incitado contra ele, para o consumir sem causa.
Então Satanás respondeu ao Senhor, e disse: Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida.
Porém estende a tua mão, e toca-lhe nos ossos, e na carne, e verás se não blasfema contra ti na tua face!
E disse o Senhor a Satanás: Eis que ele está na tua mão; porém guarda a sua vida.
Então saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até ao alto da cabeça.
E Jó tomou um caco para se raspar com ele; e estava assentado no meio da cinza.
Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre.
Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.
Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo este mal que tinha vindo sobre ele, vieram cada um do seu lugar: Elifaz o temanita, e Bildade o suíta, e Zofar o naamatita; e combinaram condoer-se dele, para o consolarem.
E, levantando de longe os seus olhos, não o conheceram; e levantaram a sua voz e choraram, e rasgaram cada um o seu manto, e sobre as suas cabeças lançaram pó ao ar.
E assentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites; e nenhum lhe dizia palavra alguma, porque viam que a dor era muito grande.
Jó 2:1-13

Depois disto abriu Jó a sua boca, e amaldiçoou o seu dia.
E Jó, falando, disse:
Pereça o dia em que nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem!
Converta-se aquele dia em trevas; e Deus, lá de cima, não tenha cuidado dele, nem resplandeça sobre ele a luz.
Contaminem-no as trevas e a sombra da morte; habitem sobre ele nuvens; a escuridão do dia o espante!
Quanto àquela noite, dela se apodere a escuridão; e não se regozije ela entre os dias do ano; e não entre no número dos meses!
Ah! que solitária seja aquela noite, e nela não entre voz de júbilo!
Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam o dia, que estão prontos para suscitar o seu pranto.
Escureçam-se as estrelas do seu crepúsculo; que espere a luz, e não venha; e não veja as pálpebras da alva;
Porque não fechou as portas do ventre; nem escondeu dos meus olhos a canseira.
Por que não morri eu desde a madre? E em saindo do ventre, não expirei?
Por que me receberam os joelhos? E por que os peitos, para que mamasse?
Porque já agora jazeria e repousaria; dormiria, e então haveria repouso para mim.
Com os reis e conselheiros da terra, que para si edificam casas nos lugares assolados,
Ou com os príncipes que possuem ouro, que enchem as suas casas de prata,
Ou como aborto oculto, não existiria; como as crianças que não viram a luz.
Ali os maus cessam de perturbar; e ali repousam os cansados.
Ali os presos juntamente repousam, e não ouvem a voz do exator.
Ali está o pequeno e o grande, e o servo livre de seu senhor.
Por que se dá luz ao miserável, e vida aos amargurados de ânimo?
Que esperam a morte, e ela não vem; e cavam em procura dela mais do que de tesouros ocultos;
Que de alegria saltam, e exultam, achando a sepultura?
Por que se dá luz ao homem, cujo caminho é oculto, e a quem Deus o encobriu?
Porque antes do meu pão vem o meu suspiro; e os meus gemidos se derramam como água.
Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.
Nunca estive tranqüilo, nem sosseguei, nem repousei, mas veio sobre mim a perturbação.
Jó 3:1-26

O ímpio maquina contra o justo, e contra ele range os dentes.
O Senhor se rirá dele, pois vê que vem chegando o seu dia.
Os ímpios puxaram da espada e armaram o arco, para derrubarem o pobre e necessitado, e para matarem os de reta conduta.
Porém a sua espada lhes entrará no coração, e os seus arcos se quebrarão.
Vale mais o pouco que tem o justo, do que as riquezas de muitos ímpios.
Pois os braços dos ímpios se quebrarão, mas o Senhor sustém os justos.
O Senhor conhece os dias dos retos, e a sua herança permanecerá para sempre.
Não serão envergonhados nos dias maus, e nos dias de fome se fartarão.
Mas os ímpios perecerão, e os inimigos do Senhor serão como a gordura dos cordeiros; desaparecerão, e em fumaça se desfarão.
O ímpio toma emprestado, e não paga; mas o justo se compadece e dá.
Porque aqueles que ele abençoa herdarão a terra, e aqueles que forem por ele amaldiçoados serão desarraigados.
Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e deleita-se no seu caminho.
Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão.
Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão.
Compadece-se sempre, e empresta, e a sua semente é abençoada.
Aparta-te do mal e faze o bem; e terás morada para sempre.
Porque o Senhor ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre; mas a semente dos ímpios será desarraigada.
Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre.
Salmos 37:12-29

O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam trabalhar.
O cobiçoso cobiça o dia todo, mas o justo dá, e nada retém.
Provérbios 21:25,26

Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar.
Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.
E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.
E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara?
Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?
Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar.
Há, por exemplo, tanta espécie de vozes no mundo, e nenhuma delas é sem significação.
Mas, se eu ignorar o sentido da voz, serei bárbaro para aquele a quem falo, e o que fala será bárbaro para mim.
Assim também vós, como desejais dons espirituais, procurai abundar neles, para edificação da igreja.
Por isso, o que fala em língua desconhecida, ore para que a possa interpretar.
Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto.
Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes?
Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado.
1 Coríntios 14:1-17

 

20 de Agosto

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“Não se aborreça por causa dos homens maus e não tenha inveja dos perversos; pois como o capim logo secarão, como a relva verde logo murcharão.” (Salmos 37:1-2).

Fazendo uma retrospectiva de sua longa vida, Daví pôde destacar cinco atitudes que o ajudaram a não “se aborrecer” (na linguagem comum poderíamos dizer “fique frio” porque a palavra original significa “estar sob fogo ou pressão” Salmo 37:1).  Quando estamos passando por uma tribulação ardente é de suma importância aprendermos a não nos “aborrecer” – a “ficar frio”!

A primeira coisa que precisamos fazer é “Confiar no Senhor” (v. 3), ou ter uma consciência interior de que Deus nos conduzirá para o outro lado.  Com a convicção em seu coração que Deus está do seu lado e quer te fazer bem você pode enfrentar qualquer coisa.

Segundo: você precisa “deleitar-se no Senhor” (v. 4), ou fazer do Senhor “uma delícia” para você.  Assim como um filho se deleita na companhia de seu pai, também você precisa deleitar-se na companhia de seu Pai celestial.

Terceiro: você precisa “entregar o seu caminho ao Senhor” (v. 5) ou descarregar seus problemas sobre Ele, reconhecendo-O como o Único  que pode carregar a sua carga pesada.

Quarto: você precisa “descansar no Senhor” (v. 7).  Isto significa aquietar-se diante do Senhor e não continuamente engrandecer o ataque de Satanás com suas palavras!

Finalmente, você precisa aguardar “por ele com paciência” (v. 7) permanecendo em constante expectativa que o milagre está prestes a vir a qalquer momento.

Aborrecimento, além de não ser bíblico, pode ser detrimental a saúde.  Quando permitimos a entrada do estresse muitos problemas físicos aparecem.  Confie, delicie-se, compromete-se, descanse e espere: seu aborrecimento desaparecerá e Deus lhe dará a vitória!

Leitura diária

(Ester 8:1 – 10:3 | Salmos 37:1-11 | Provérbios 21:23-24 | 1 Coríntios 12:27 – 13:13)

Naquele mesmo dia deu o rei Assuero à rainha Ester a casa de Hamã, inimigo dos judeus; e Mardoqueu veio perante o rei, porque Ester tinha declarado quem ele era.
E tirou o rei o seu anel, que tinha tomado de Hamã, e o deu a Mardoqueu. E Ester encarregou Mardoqueu da casa de Hamã.
Falou mais Ester perante o rei, e se lhe lançou aos seus pés; e chorou, e lhe suplicou que revogasse a maldade de Hamã, o agagita, e o intento que tinha projetado contra os judeus.
E estendeu o rei para Ester o cetro de ouro. Então Ester se levantou, e pôs-se em pé perante o rei,
E disse: Se bem parecer ao rei, e se eu achei graça perante ele, e se este negócio é reto diante do rei, e se eu lhe agrado aos seus olhos, escreva-se que se revoguem as cartas concebidas por Hamã filho de Hamedata, o agagita, as quais ele escreveu para aniquilar os judeus, que estão em todas as províncias do rei.
Pois como poderei ver o mal que sobrevirá ao meu povo? E como poderei ver a destruição da minha parentela?
Então disse o rei Assuero à rainha Ester e ao judeu Mardoqueu: Eis que dei a Ester a casa de Hamã, e a ele penduraram numa forca, porquanto estendera as mãos contra os judeus.
Escrevei, pois, aos judeus, como parecer bem aos vossos olhos, em nome do rei, e selai-o com o anel do rei; porque o documento que se escreve em nome do rei, e que se sela com o anel do rei, não se pode revogar.
Então foram chamados os escrivães do rei, naquele mesmo tempo, no terceiro mês (que é o mês de Sivã), aos vinte e três dias; e se escreveu conforme a tudo quanto ordenou Mardoqueu aos judeus, como também aos sátrapas, e aos governadores, e aos líderes das províncias, que se estendem da Úndia até Etiópia, cento e vinte e sete províncias, a cada província segundo o seu modo de escrever, e a cada povo conforme a sua língua; como também aos judeus segundo o seu modo de escrever, e conforme a sua língua.
E escreveu-se em nome do rei Assuero e, selando-as com o anel do rei, enviaram as cartas pela mão de correios a cavalo, que cavalgavam sobre ginetes, que eram das cavalariças do rei.
Nelas o rei concedia aos judeus, que havia em cada cidade, que se reunissem, e se dispusessem para defenderem as suas vidas, e para destruírem, matarem e aniquilarem todas as forças do povo e da província que viessem contra eles, crianças e mulheres, e que se saqueassem os seus bens,
Num mesmo dia, em todas as províncias do rei Assuero, no dia treze do duodécimo mês, que é o mês de Adar;
E uma cópia da carta seria divulgada como decreto em todas as províncias, e publicada entre todos os povos, para que os judeus estivessem preparados para aquele dia, para se vingarem dos seus inimigos.
Os correios, sobre ginetes velozes, saíram apressuradamente, impelidos pela palavra do rei; e esta ordem foi publicada na fortaleza de Susã.
Então Mardoqueu saiu da presença do rei com veste real azul-celeste e branca, como também com uma grande coroa de ouro, e com uma capa de linho fino e púrpura, e a cidade de Susã exultou e se alegrou.
E para os judeus houve luz, e alegria, e gozo, e honra.
Também em toda a província, e em toda a cidade, aonde chegava a palavra do rei e a sua ordem, havia entre os judeus alegria e gozo, banquetes e dias de folguedo; e muitos, dos povos da terra, se fizeram judeus, porque o temor dos judeus tinha caído sobre eles.
Ester 8:1-17Naquele mesmo dia deu o rei Assuero à rainha Ester a casa de Hamã, inimigo dos judeus; e Mardoqueu veio perante o rei, porque Ester tinha declarado quem ele era.
E tirou o rei o seu anel, que tinha tomado de Hamã, e o deu a Mardoqueu. E Ester encarregou Mardoqueu da casa de Hamã.
Falou mais Ester perante o rei, e se lhe lançou aos seus pés; e chorou, e lhe suplicou que revogasse a maldade de Hamã, o agagita, e o intento que tinha projetado contra os judeus.
E estendeu o rei para Ester o cetro de ouro. Então Ester se levantou, e pôs-se em pé perante o rei,
E disse: Se bem parecer ao rei, e se eu achei graça perante ele, e se este negócio é reto diante do rei, e se eu lhe agrado aos seus olhos, escreva-se que se revoguem as cartas concebidas por Hamã filho de Hamedata, o agagita, as quais ele escreveu para aniquilar os judeus, que estão em todas as províncias do rei.
Pois como poderei ver o mal que sobrevirá ao meu povo? E como poderei ver a destruição da minha parentela?
Então disse o rei Assuero à rainha Ester e ao judeu Mardoqueu: Eis que dei a Ester a casa de Hamã, e a ele penduraram numa forca, porquanto estendera as mãos contra os judeus.
Escrevei, pois, aos judeus, como parecer bem aos vossos olhos, em nome do rei, e selai-o com o anel do rei; porque o documento que se escreve em nome do rei, e que se sela com o anel do rei, não se pode revogar.
Então foram chamados os escrivães do rei, naquele mesmo tempo, no terceiro mês (que é o mês de Sivã), aos vinte e três dias; e se escreveu conforme a tudo quanto ordenou Mardoqueu aos judeus, como também aos sátrapas, e aos governadores, e aos líderes das províncias, que se estendem da Úndia até Etiópia, cento e vinte e sete províncias, a cada província segundo o seu modo de escrever, e a cada povo conforme a sua língua; como também aos judeus segundo o seu modo de escrever, e conforme a sua língua.
E escreveu-se em nome do rei Assuero e, selando-as com o anel do rei, enviaram as cartas pela mão de correios a cavalo, que cavalgavam sobre ginetes, que eram das cavalariças do rei.
Nelas o rei concedia aos judeus, que havia em cada cidade, que se reunissem, e se dispusessem para defenderem as suas vidas, e para destruírem, matarem e aniquilarem todas as forças do povo e da província que viessem contra eles, crianças e mulheres, e que se saqueassem os seus bens,
Num mesmo dia, em todas as províncias do rei Assuero, no dia treze do duodécimo mês, que é o mês de Adar;
E uma cópia da carta seria divulgada como decreto em todas as províncias, e publicada entre todos os povos, para que os judeus estivessem preparados para aquele dia, para se vingarem dos seus inimigos.
Os correios, sobre ginetes velozes, saíram apressuradamente, impelidos pela palavra do rei; e esta ordem foi publicada na fortaleza de Susã.
Então Mardoqueu saiu da presença do rei com veste real azul-celeste e branca, como também com uma grande coroa de ouro, e com uma capa de linho fino e púrpura, e a cidade de Susã exultou e se alegrou.
E para os judeus houve luz, e alegria, e gozo, e honra.
Também em toda a província, e em toda a cidade, aonde chegava a palavra do rei e a sua ordem, havia entre os judeus alegria e gozo, banquetes e dias de folguedo; e muitos, dos povos da terra, se fizeram judeus, porque o temor dos judeus tinha caído sobre eles.
Ester 8:1-17

E, no duodécimo mês, que é o mês de Adar, no dia treze do mesmo mês em que chegou a palavra do rei e a sua ordem para se executar, no dia em que os inimigos dos judeus esperavam assenhorear-se deles, sucedeu o contrário, porque os judeus foram os que se assenhorearam dos que os odiavam.
Porque os judeus nas suas cidades, em todas as províncias do rei Assuero, se ajuntaram para pôr as mãos naqueles que procuravam o seu mal; e ninguém podia resistir-lhes, porque o medo deles caíra sobre todos aqueles povos.
E todos os líderes das províncias, e os sátrapas, e os governadores, e os que faziam a obra do rei, auxiliavam os judeus; porque tinha caído sobre eles o temor de Mardoqueu.
Porque Mardoqueu era grande na casa do rei, e a sua fama crescia por todas as províncias, porque o homem Mardoqueu ia sendo engrandecido.
Feriram, pois, os judeus a todos os seus inimigos, a golpes de espada, com matança e com destruição; e fizeram dos seus inimigos o que quiseram.
E na fortaleza de Susã os judeus mataram e destruíram quinhentos homens;
Como também a Parsandata, e a Dalfom e a Aspata,
E a Porata, e a Adalia, e a Aridata,
E a Farmasta, e a Arisai, e a Aridai, e a Vaisata; ú
Os dez filhos de Hamã, filho de Hamedata, o inimigo dos judeus, mataram, porém ao despojo não estenderam a sua mão.
No mesmo dia foi comunicado ao rei o número dos mortos na fortaleza de Susã.
E disse o rei à rainha Ester: Na fortaleza de Susã os judeus mataram e destruíram quinhentos homens, e os dez filhos de Hamã; nas mais províncias do rei que teriam feito? Qual é, pois, a tua petição? E dar-se-te-á. Ou qual é ainda o teu requerimento? E far-se-á.
Então disse Ester: Se bem parecer ao rei, conceda-se aos judeus que se acham em Susã que também façam amanhã conforme ao mandado de hoje; e pendurem numa forca os dez filhos de Hamã.
Então disse o rei que assim se fizesse; e publicou-se um edito em Susã, e enforcaram os dez filhos de Hamã.
E reuniram-se os judeus que se achavam em Susã também no dia catorze do mês de Adar, e mataram em Susã trezentos homens; porém ao despojo não estenderam a sua mão.
Também os demais judeus que se achavam nas províncias do rei se reuniram e se dispuseram em defesa das suas vidas, e tiveram descanso dos seus inimigos; e mataram dos seus inimigos setenta e cinco mil; porém ao despojo não estenderam a sua mão.
Sucedeu isto no dia treze do mês de Adar; e descansaram no dia catorze, e fizeram, daquele dia, dia de banquetes e de alegria.
Também os judeus, que se achavam em Susã se ajuntaram nos dias treze e catorze do mesmo; e descansaram no dia quinze, e fizeram, daquele dia, dia de banquetes e de alegria.
Os judeus, porém, das aldeias, que habitavam nas vilas, fizeram do dia catorze do mês de Adar dia de alegria e de banquetes, e dia de folguedo, e de mandarem presentes uns aos outros.
E Mardoqueu escreveu estas coisas, e enviou cartas a todos os judeus que se achavam em todas as províncias do rei Assuero, aos de perto, e aos de longe,
Ordenando-lhes que guardassem o dia catorze do mês de Adar, e o dia quinze do mesmo, todos os anos,
Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa, para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros, e dádivas aos pobres.
E os judeus encarregaram-se de fazer o que já tinham começado, como também o que Mardoqueu lhes tinha escrito.
Porque Hamã, filho de Hamedata, o agagita, inimigo de todos os judeus, tinha intentado destruir os judeus, e tinha lançado Pur, isto é, a sorte, para os assolar e destruir.
Mas, vindo isto perante o rei, mandou ele por cartas que o mau intento que Hamã formara contra os judeus, se tornasse sobre a sua cabeça; pelo que penduraram a ele e a seus filhos numa forca.
Por isso àqueles dias chamam Purim, do nome Pur; assim também por causa de todas as palavras daquela carta, e do que viram sobre isso, e do que lhes tinha sucedido,
Confirmaram os judeus, e tomaram sobre si, e sobre a sua descendência, e sobre todos os que se achegassem a eles, que não se deixaria de guardar estes dois dias conforme ao que se escrevera deles, e segundo o seu tempo determinado, todos os anos.
E que estes dias seriam lembrados e guardados em cada geração, família, província e cidade, e que esses dias de Purim não fossem revogados entre os judeus, e que a memória deles nunca teria fim entre os de sua descendência.
Então a rainha Ester, filha de Abiail, e Mardoqueu, o judeu, escreveram com toda autoridade uma segunda vez, para confirmar a carta a respeito de Purim.
E mandaram cartas a todos os judeus, às cento e vinte e sete províncias do reino de Assuero, com palavras de paz e verdade.
Para confirmarem estes dias de Purim nos seus tempos determinados, como Mardoqueu, o judeu, e a rainha Ester lhes tinham estabelecido, e como eles mesmos já o tinham estabelecido sobre si e sobre a sua descendência, acerca do jejum e do seu clamor.
E o mandado de Ester estabeleceu os sucessos daquele Purim; e escreveu-se no livro.
Ester 9:1-32

Depois disto impôs o rei Assuero tributo sobre a terra, e sobre as ilhas do mar.
E todos os atos do seu poder e do seu valor, e o relato da grandeza de Mardoqueu, a quem o rei exaltou, porventura não estão escritos no livro das crônicas dos reis da Média e da Pérsia?
Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande entre os judeus, e estimado pela multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo, e proclamando a prosperidade de toda a sua descendência.
Ester 10:1-3

NÃO te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade.
Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura.
Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.
Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.
Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.
E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.
Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.
Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal.
Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam no Senhor herdarão a terra.
Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar, e não aparecerá.
Salmos 37:1-10

O que guarda a sua boca e a sua língua guarda a sua alma das angústias.
O soberbo e presumido, zombador é o seu nome, trata com indignação e soberba.
Provérbios 21:23,24

Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.
E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
Porventura são todos apóstolos? são todos profetas? são todos doutores? são todos operadores de milagres?
Têm todos o dom de curar? falam todos diversas línguas? interpretam todos?
Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente.
1 Coríntios 12:27-31

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
1 Coríntios 13:1-13