28 de Novembro

DEVOCIONAL DO PR. LARRY STOCKSTILL

“O meu corpo estremece diante de ti; as tuas ordenanças enchem-me de temor” (Salmos 119:120).

Quando os dedos de uma mão humana começaram a escrever no reboco da parede, o rosto do Rei Belsazar “ficou pálido, e ele ficou tão assustado que os seus joelhos batiam um no outro e as suas pernas vacilaram” (Daniel 5:5-6)!  O pecador mais corajoso fica aterrorizado diante da pura revelação da justiça de Deus.  Quantas vezes as pessoas zombam de Deus como se Ele fosse um cachorrinho senil debaixo de uma sacada.  A ignorância deles apenas destaca a longaminidade Dele.  Alguém uma vez disse: “Nunca confunda a longaminidade de Deus como sendo sua aprovação”.  Belsazar forçou a misericórdia de Deus além do limite, e a misericórdia de Deus passou a ser julgamento.

“Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram.  Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia” (2 Pedro 2:13).  Quando Belsazar tocou os vasos santos do templo de Deus, ele passou dos limites com Deus.  Ele recebeu o mesmo destino dos anjos rebeldes, o povo nos dias de Noé, e Sodoma e Gomorra (vs 4-6).  Ande diante Dele em “temor”, pois o nosso Deus é um Deus assombroso!

 

 

Leitura Diária

(Daniel 5:1-31 | Salmos 119:113-128 | Provérbios 28:19-20 | 2 Pedro 2:1-22)

Certa vez o rei Belsazar deu um grande banquete para mil dos seus nobres, e eles beberam muito vinho.
Enquanto Belsazar bebia vinho, deu ordens para trazerem as taças de ouro e de prata que o seu predecessor, Nabucodonosor, tinha tomado do templo de Jerusalém, para que o rei e os seus nobres, as suas mulheres e as suas concubinas bebessem nessas taças.
Então trouxeram as taças de ouro que tinham sido tomadas do templo de Deus em Jerusalém; e o rei e os seus nobres, as suas mulheres e as suas concubinas, beberam nas taças.
Enquanto bebiam o vinho, louvaram os deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra.
Mas, de repente apareceram dedos de mão humana que começaram a escrever no reboco da parede, da parte mais iluminada do palácio real. O rei observou a mão enquanto ela escrevia.
Seu rosto ficou pálido, e ele ficou tão assustado que os seus joelhos batiam e as suas pernas vacilaram.
Aos gritos, o rei mandou chamar os encantadores, os astrólogos e os adivinhos e disse a esses sábios da Babilônia: “Aquele que ler essa inscrição e interpretá-la, revelando-me o seu significado, vestirá um manto vermelho, terá uma corrente de ouro no pescoço, e será o terceiro em importância no governo do reino”.
Todos os sábios do rei vieram, mas não conseguiram ler a inscrição nem dizer ao rei o seu significado.
Diante disso o rei Belsazar ficou ainda mais aterrorizado e o seu rosto, mais pálido. Seus nobres estavam alarmados.
E tendo a rainha, ouvido os gritos do rei e de seus nobres, entrou na sala do banquete e disse: “Ó rei, vive para sempre! Não fiques assustado nem tão pálido!
Existe um homem em teu reino que possui o espírito dos santos deuses. Na época do teu predecessor verificou-se que ele tinha percepção, inteligência e sabedoria como a dos deuses. O rei Nabucodonosor, teu predecessor, sim, teu predecessor, o rei, o nomeou chefe dos magos, dos encantadores, dos astrólogos e dos adivinhos.
Verificou-se que esse homem, Daniel, a quem o rei dera o nome de Beltessazar, tinha inteligência extraordinária e também a capacidade de interpretar sonhos e resolver enigmas e mistérios. Manda chamar Daniel, e ele te dará o significado da escrita”.
Assim Daniel foi levado à presença do rei, que lhe disse: “Você é Daniel, um dos exilados que meu pai, o rei, trouxe de Judá?
Soube que o espírito dos deuses está em você e que você possui percepção, inteligência e uma sabedoria fora do comum.
Trouxeram os sábios e os encantadores à minha presença para lerem essa inscrição e me dizerem o seu significado, eles porém não conseguiram.
Mas eu soube que você é capaz de dar interpretações e de resolver mistérios. Se você puder ler essa inscrição e dar-me o seu significado, você será vestido de vermelho e terá uma corrente de ouro no pescoço, e se tornará o terceiro em importância no governo do reino”.
Então Daniel respondeu ao rei: “Podes guardar os teus presentes para ti mesmo e dar as tuas recompensas a algum outro. No entanto, eu lerei a inscrição para o rei e lhe direi o seu significado.
“Ó rei, foi a Nabucodonosor, teu predecessor que o Deus Altíssimo deu soberania, grandeza, glória e majestade.
Devido à alta posição que lhe concedeu, homens de todas as nações, povos e línguas tremiam diante dele e o temiam. A quem o rei queria matar, matava; a quem queria poupar, poupava; a quem queria promover, promovia; e a quem queria humilhar, humilhava.
Mas, quando o seu coração se tornou arrogante e endurecido por causa do orgulho, ele foi deposto de seu trono real e despojado da sua glória.
Foi expulso do meio dos homens e sua mente ficou como a de um animal; ele passou a viver com os jumentos selvagens e a comer capim como os bois; e o seu corpo se molhava com o orvalho do céu, até reconhecer que o Deus Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e coloca no poder a quem ele quer.
“Mas tu, Belsazar, seu sucessor, não te humilhaste, embora soubesses de tudo isso.
Pelo contrário, tu te exaltaste acima do Senhor dos céus. Mandaste trazer as taças do templo do Senhor para que nelas bebessem tu, os teus nobres, as tuas mulheres e as tuas concubinas. Louvaste os deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não podem ver nem ouvir nem entender. Mas não glorificaste o Deus que sustenta em suas mãos a tua vida e todos os teus caminhos.
Por isso ele enviou a mão que escreveu as palavras da inscrição.
“Esta é a inscrição que foi feita: MENE, MENE, TEQUEL, PARSIM.
“E este é o significado dessas palavras: Mene: Deus contou os dias do teu reinado e determinou o seu fim.
Tequel: Foste pesado na balança e achado em falta.
Peres: Teu reino foi dividido e entregue aos medos e persas”.
Então, por ordem de Belsazar, vestiram Daniel com um manto vermelho, puseram-lhe uma corrente de ouro no pescoço, e o proclamaram o terceiro em importância no governo do reino.
Naquela mesma noite Belsazar, rei dos babilônios, foi morto,
e Dario, o medo, apoderou-se do reino, com a idade de sessenta e dois anos.
Daniel 5:1-31

Odeio os que são inconstantes, mas amo a tua lei.
Tu és o meu abrigo e o meu escudo; e na tua palavra coloquei a minha esperança.
Afastem-se de mim os que praticam o mal! Quero obedecer aos mandamentos do meu Deus!
Sustenta-me, segundo a tua promessa, e eu viverei; não permitas que se frustrem as minhas esperanças.
Ampara-me, e estarei seguro; sempre estarei atento aos teus decretos.
Tu rejeitas todos os que se desviam dos teus decretos, pois os seus planos enganosos são inúteis.
Tu destróis como refugo todos os ímpios da terra; por isso amo os teus testemunhos.
O meu corpo estremece diante de ti; as tuas ordenanças enchem-me de temor.
Tenho vivido com justiça e retidão; não me abandones nas mãos dos meus opressores.
Garante o bem-estar do teu servo; não permitas que os arrogantes me oprimam.
Os meus olhos fraquejam, aguardando a tua salvação e o cumprimento da tua justiça.
Trata o teu servo conforme o teu amor leal e ensina-me os teus decretos.
Sou teu servo; dá-me discernimento para compreender os teus testemunhos.
Já é tempo de agires, Senhor, pois a tua lei está sendo desrespeitada.
Eu amo os teus mandamentos mais do que o ouro, mais do que o ouro puro.
Por isso considero justos os teus preceitos e odeio todo caminho de falsidade.
Salmos 119:113-128

Quem lavra sua terra terá comida com fartura, mas quem persegue fantasias se fartará de miséria.
O fiel será ricamente abençoado, mas quem tenta enriquecer-se depressa não ficará sem castigo.
Provérbios 28:19,20

No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.
Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade.
Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda.
Pois Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, prendendo-os em abismos tenebrosos a fim de serem reservados para o juízo.
Ele não poupou o mundo antigo quando trouxe o dilúvio sobre aquele povo ímpio, mas preservou Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas.
Também condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, tornando-as exemplo do que acontecerá aos ímpios;
mas livrou Ló, homem justo, que se afligia com o procedimento libertino dos que não tinham princípios morais
( pois, vivendo entre eles, todos os dias aquele justo se atormentava em sua alma justa por causa das maldades que via e ouvia ).
Vemos, portanto, que o Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o dia do juízo,
especialmente os que seguem os desejos impuros da carne e desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais;
contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor.
Mas eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção!
Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram. Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês.
Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos!
Eles abandonaram o caminho reto e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o salário da injustiça,
mas em sua transgressão foi repreendido por uma jumenta, um animal mudo, que falou com voz humana e refreou a insensatez do profeta.
Esses homens são fontes sem água e névoas impelidas pela tempestade. A escuridão das trevas lhes está reservada,
pois eles, com palavras de vaidosa arrogância e provocando os desejos libertinos da carne, seduzem os que estão quase conseguindo fugir daqueles que vivem no erro.
Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção, pois o homem é escravo daquilo que o domina.
Se, tendo escapado das contaminações do mundo por meio do conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, encontram-se novamente nelas enredados e por elas dominados, estão em pior estado do que no princípio.
Teria sido melhor que não tivessem conhecido o caminho da justiça, do que, depois de o terem conhecido, voltarem as costas para o santo mandamento que lhes foi transmitido.
Confirma-se neles que é verdadeiro o provérbio: “O cão voltou ao seu vômito” e ainda: “A porca lavada voltou a revolver-se na lama”.
2 Pedro 2:1-22

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *